Topo

Quatro toneladas de óleo são retiradas de Porto de Galinhas e praias do PE

do UOL

Aliny Gama

Colaboração para o UOL

19/10/2019 22h42

O derramamento de petróleo que atinge a costa do Nordeste chegou hoje Porto de Galinhas e outras cinco praias do município de Ipojuca, no litoral sul de Pernambuco. A chegada das manchas oleosas foi anunciada por biólogos, que apontam as correntes marinhas e os ventos como fatores que ocasionaram o retorno do material à costa do Nordeste.

Quatro toneladas de óleo foram retiradas em um mutirão de limpeza realizado durante todo o dia em Ipojuca. De acordo com a prefeitura do município, foram distribuídas 2 mil luvas, 2 mil máscaras e 200 pares de botas para as pessoas que estão retirando o óleo das praias.

As praias de Tamandaré, São José da Coroa Grande e Sirinhaém, no litoral sul de Pernambuco, também receberam mutirão de limpeza. A estimativa da quantidade recolhida não foi informada pelo governo.

Além de equipes do governo do estado e do município, moradores, proprietários de pousadas e ativistas ambientais se juntaram no mutirão de limpeza. O setor turístico está preocupado com o impacto que poderá ser causado com o derramamento de óleo nas praias do Nordeste no período de alta estação.

As praias atingidas pelas manchas ficam na APA (Área de Proteção Ambiental) Costa dos Corais, considerada a maior unidade de conservação federal marinha costeira do Brasil. O local fica entre os estados de Pernambuco e Alagoas e tem mais de 400 mil hectares de área, além de 120 quilômetros de praia e mangues. O município de Ipojuca tem 33 quilômetros de praias.

Porto de Galinhas é a praia mais famosa de Pernambuco pelas belezas de suas piscinas naturais e a biodiversidade marinha nos recifes de coral. Além de Porto de Galinhas, as praias do Cupe, Enseadinha, Maracaípe, Muro Alto e Serrambi ficaram sujas com o petróleo hoje.

Um vídeo feito por voluntários mostra uma extensa faixa de areia oleada na praia do Cupe. O Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, publicou no Twitter fotos do mutirão de limpeza em Porto de Galinhas.

Gabinete de crise

A prefeita de Ipojuca, Célia Sales (PTB), disse o município se preparou para a chegada do óleo em Porto de Galinhas desde a última quarta-feira (16). A prefeitura criou um gabinete de crise para gerenciar ações para a retirada do óleo.

"Estamos limpando as nossas praias. Com os nossos voluntários, com [o porto de] Suape, quero aqui aproveitar para agradecer toda a estrutura, toda a disponibilidade da nossa população, que está aqui limpando conosco. Estamos conseguindo retirar o mais rápido possível o óleo das nossas praias", destacou a prefeita.

Outra praia famosa de Pernambuco, a praia dos Carneiros, em Tamandaré, foi atingida por manchas de óleo ontem. De acordo com o Instituto Bioma Brasil, o óleo impactou todos os ecossistemas em Tamandaré: recifes, manguezais, praias, gramíneas marinhas.

"Na areia foi possível retirar a maior parte do óleo. Apenas nos substratos duros, que a situação dificultou. Nos recifes teremos zonas mortas no futuro. Nada crescerá. Impacto que irá perpetuar por décadas", escreveu o Bioma Brasil.

O retorno

Manchas oleosas vêm atingindo o litoral do Nordeste desde o início do mês de setembro. Até agora, não se sabe o foco do derramamento de óleo.

Análise de amostras do material feita pela Marinha e pela Petrobras, apontou que a substância encontrada nos litorais é petróleo cru e que ele não é produzido pelo Brasil.

A Marinha do Brasil afirma que a dificuldade em encontrar o local do derramamento de óleo no mar ocorre pela extensão de 2.250 km, que vai de Salvador até o Maranhão, e pela duração e ineditismo do problema. A investigação da origem das manchas de óleo está sendo conduzida pela Marinha, enquanto a investigação criminal é objeto da Polícia Federal.

Entre a noite de terça (15) e a manhã de quarta, manchas atingiram as praias de Japaratinga, no litoral norte de Alagoas. No dia seguinte, as praias de Maragogi ficaram oleadas.

O governo de Pernambuco iniciou uma série de ações para impedir que o óleo não retornasse às praias pernambucanas. Mas os trabalhos não conseguiram proteger a costa e, na quinta-feira, praias de São José da Coroa Grande, na divisa do estado com Alagoas, ficaram manchadas.

O derramamento de óleo é considerado o maior acidente ambiental em extensão do país. Relatório do Ibama, atualizado ontem, aponta que nos nove estados do nordeste há 194 praias atingidas. Até agora, 30 animais marinhos foram encontrados oleados, sendo 15 tartarugas e duas aves e um peixe mortos. Atualmente, há 486 filhotes de tartarugas marinhas retidos de forma preventiva por conta da poluição causada pelo óleo.

Notícias