Topo

Falta de dados pode impedir depósito de R$ 500 do FGTS; veja como resolver

do UOL

Ricardo Marchesan

Do UOL, em São Paulo

10/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Falta de dado ou informação errada pode impedir depósito de R$ 500 do FGTS para clientes da Caixa
  • Problemas mais comuns são no nome, CPF, data de nascimento ou número do PIS
  • Para regularizar, cliente deve ir a uma agência com documento de identificação, CPF e carteira de trabalho
  • Depósito do valor é feito em cinco dias úteis após correção, segundo a Caixa

Clientes da Caixa com informações erradas ou falta de dados no cadastro do FGTS podem não receber o depósito de R$ 500 do fundo de garantia direto em sua conta. Para isso, é necessário regularizar a situação em uma agência.

A Caixa liberou o depósito do dinheiro do fundo aos clientes em três etapas. A última foi na quarta-feira (9), para os que nasceram entre setembro e dezembro. Os que têm poupança no banco receberam o valor automaticamente, enquanto quem possui conta-corrente deve autorizar, caso queira que o dinheiro seja depositado.

Esse crédito, porém, pode não acontecer caso falte algum dado ou haja alguma divergência entre o cadastro do PIS (Programa de Integração Social) e o do FGTS. Segundo o banco, os problemas mais comuns são falta ou erro no CPF, data de nascimento, número do PIS ou nome —seja por causa da grafia ou diferença no sobrenome, se não tiver sido feita a atualização depois que o trabalhador se casou.

De acordo com a Caixa, esses problemas só impedem que o depósito seja feito direto na conta. O cliente ainda pode fazer o saque em outros canais, como lotéricas, caixa eletrônico ou na própria agência. A questão é que o saque por esses canais ainda não começou e segue um calendário diferente, a partir de 18 de outubro, conforme o mês de aniversário.

Ou seja, se o cliente da Caixa quiser receber antes, precisa regularizar a situação.

O que fazer?

A Caixa orienta o cliente que tem direito, mas não recebeu o depósito direto na conta, a comparecer a uma agência, levando originais e cópias de um documento de identificação com foto, CPF e carteira de trabalho.

Assim, o banco pode regularizar o cadastro do PIS ou FGTS, assim como os dados da conta.

Depois que a pendência for regularizada, o depósito do valor será feito em cinco dias úteis, segundo a Caixa.

Outros motivos impedem depósito

Nem sempre o problema no cadastro é a razão para que o dinheiro não tenha sido depositado. Para não perder a viagem, tendo que ir a uma agência sem necessidade, confirme algumas informações antes:

  • Confira se há dinheiro no seu FGTS por meio de algum dos canais oficiais, como aplicativo do FGTS, site fgts.caixa.gov.br e o telefone 0800 724 2019
  • Para receber o depósito, a conta na Caixa precisa ter sido aberta até o dia 24 de julho deste ano
  • Quem não tem conta na Caixa, ou abriu uma depois do dia 24 de julho, recebe de acordo com outro calendário, que começa no dia 18 de outubro
  • O depósito automático só é feito para quem tem poupança individual na Caixa
  • Para quem tem mais de uma poupança na Caixa, o depósito é feito naquela que teve movimentação mais recente
  • Quem tem conta-corrente (individual ou conjunta), poupança conjunta e conta-corrente fácil precisa autorizar o depósito por meio de algum dos canais de atendimento: internet banking da Caixa, aplicativo do FGTS, site fgts.caixa.gov.br, telefone 0800 724 2019 ou direto na agência. Fazendo a liberação agora, esses clientes receberão em até 20 dias, de acordo com o banco

Falta de informação atrapalha cliente

O técnico em eletrônica Adolfo Carratti, 60, nasceu em maio e tem uma poupança da Caixa. Ele deveria ter recebido o crédito no dia 27 de setembro, na segunda etapa de depósitos, mas isso não aconteceu.

Ele conta que, no mesmo dia, foi a uma lotérica para tentar fazer o saque, mas foi informado de que o valor não estava disponível. Ao questionar o motivo, a atendente afirmou que, por ter o Cartão Cidadão, ele só poderia sacar a partir de outubro, segundo o calendário daqueles que não têm conta na Caixa, de acordo com Carratti.

Na segunda-feira, 30 de setembro, ele foi à sua agência, em Santo André (SP), e descobriu que seu CPF não constava no cadastro. Feita a correção, o atendente afirmou que o saque poderia ser realizado a partir de 6 de dezembro com o Cartão Cidadão, por ter nascido em maio.

Após contato do UOL com a assessoria de imprensa da Caixa para saber a causa da demora no depósito, o banco telefonou a Carratti orientando que ele procurasse o atendente novamente e assinasse um documento para que o dinheiro pudesse ser liberado em até cinco dias úteis, segundo ele. Depois que seguiu a orientação, o depósito foi feito no prazo.

O UOL entrou em contato novamente com a Caixa, questionando a causa do desencontro de informações e por que a opção de receber em até cinco dias só foi possível após o questionamento da reportagem.

O banco respondeu:

"A inconsistência analisada no cadastro PIS do sr. Adolfo foi a falta de número de CPF, constituindo óbice para o crédito automático em conta bancária, contudo não é critério impeditivo para a realização do saque nos demais canais disponibilizados pela Caixa, como lotéricas, terminais de autoatendimento e correspondentes Caixa Aqui. Nestes casos, o trabalhador aguardará o calendário de pagamentos de FGTS com atendimento presencial condizente com o seu mês de aniversário.

Todavia o Sr. Adolfo apresentou-se espontaneamente à agência e promoveu a atualização cadastral necessária. Somente após a regularização das pendências foi possível emitir o requerimento de solicitação de saque do FGTS e efetuar o crédito em conta no prazo de cinco dias úteis."

Quer saber mais informações e dicas sobre economia e finanças pessoais de um jeito fácil de entender? Siga @uoleconomia no Instagram!

Como fazer o cadastro no aplicativo do FGTS

UOL Notícias

Mais Notícias