Topo

Líder sindical espanhol pede Nobel de Paz e liberdade para Lula

Sérgio Castro - 7.nov.16/Estadão Conteúdo
Imagem: Sérgio Castro - 7.nov.16/Estadão Conteúdo

Da EFE, em São Paulo

10/10/2019 14h12

O secretário-geral da União Geral de Trabalhadores (UGT) da Espanha, Pepe Álvarez, disse torcer para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ganhe o prêmio Nobel da Paz e defendeu a libertação do petista, que está preso desde abril de 2018.

"Nunca duvidei da integridade de Lula. Tive a oportunidade de me encontrar com ele em Barcelona e acho que as acusações não se sustentam", afirmou Álvarez em entrevista à Agência Efe em São Paulo.

Nesta quinta-feira o líder sindical deve visitar Lula na cela em que está preso na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

"O que fomos vendo e lendo na imprensa evidencia que por trás havia uma conspiração para tirá-lo da corrida eleitoral", expressou, em alusão às conversas vazadas pelo portal The Intercept Brasil, do jornalista Glenn Greenwald, entre procuradores e o ex-juiz federal e atual ministro da Justiça Sergio Moro, que condenou Lula em primeira instância.

Álvarez, que nesta semana participou do Congresso Nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), afirma estar "absolutamente convencido" que o ex-governante "não demorará muito" para sair de prisão.

"Lula representa hoje, para os trabalhadores do mundo, o mesmo que Nelson Mandela representou contra o Apartheid", comparou o sindicalista espanhol.

Pepe Álvarez defendeu a entrega do prêmio Nobel da Paz - cujo vencedor será anunciado na sexta-feira, em Oslo - para Lula porque, segundo ele, "dificilmente o Comitê encontrará alguém que atualmente tenha tanta simpatia no planeta" como o ex-presidente brasileiro.

"A UGT pedirá também e espero que o sindicalismo global solicite o mesmo ao Comitê do Nobel porque seria muito importante para a liberdade de Lula, muito importante para os desejos dos trabalhadores do planeta, e o que é mais importante, acredito que seria uma maneira se de fazer justiça", manifestou.

O sindicalista considera Lula um "líder planetário". Na opinião de Álvarez, é "normal" que os movimentos sindicais brasileiros sintam o ex-presidente "tão presente" porque tanto Lula como sua sucessora no cargo, Dilma Rousseff, que sofreu impeachment em 2016 por crime de responsabilidade fiscal, fizeram a diferença "na qualidade de vida de milhões de trabalhadores".

"Espero poder transmitir a Lula todos os ânimos, abraços e saudações que foram passados a mim por representantes de diversos sindicatos do mundo e de líderes espanhóis. Estive falando com (o líder do partido espanhol Podemos) Pablo Iglesias e ele também pediu para que eu dê um abraço muito forte nele", revelou.

Lula recebe título de cidadão honorário de Paris

redacaojornaldocommercio

Mais Notícias