Topo

Impeachment: assessores de advogado pessoal de Trump são presos em NY

Assessores de advogado pessoal de Trump, Rudolph Giuliani, são presos em NY - Philippe-Olivier Contant/Xinhua
Assessores de advogado pessoal de Trump, Rudolph Giuliani, são presos em NY Imagem: Philippe-Olivier Contant/Xinhua
do UOL

Do UOL, em São Paulo

10/10/2019 13h17

Dois assessores do advogado pessoal do presidente Donald Trump, Rudolph Giuliani, foram presos hoje por violarem leis de financiamento de campanha. A informação foi divulgada por um porta-voz da Procuradoria de Manhattan.

Lev Parnas é um investidor imobiliário nascido em Belarus e Igor Fruman é um executivo ucraniano que atuam em negócios na Flórida. Os empresários são acusados de "direcionarem dinheiro estrangeiro para candidatos federais e estaduais usando empresas de fachada". A reportagem do Wall Street Journal que aborda o caso indicou que eles serão ouvidos ainda hoje por uma corte federal.

Parnas e Fruman são considerados duas importantes testemunhas no caso de impeachment de Trump, que é acusado de pressionar o presidente da Ucrânia para investigar Joe Biden e seu filho. Eles haviam sido chamados para depor no Congresso norte-americano ainda nesta semana.

Segundo a denúncia, os executivos são suspeitos de terem ajudado Giuliani a pressionar o governo da Ucrânia, além de terem apresentado o advogado de Trump para políticos do país europeu. Além disso, eles teriam feito doações para um comitê de arrecadação de recursos para Trump que ajudou os esforços de Giuliani para investigar Biden.

O Centro de Campanha Legal dos Estados Unidos, órgão responsável pela regulação das contas eleitorais, pediu que o governo investigasse Parnas e Fruman, já que eles suspeitavam que os executivos haviam usado uma empresa de fachada para mascarar uma doação de US$ 325 mil para um comitê de apoio a Trump. Em setembro, Parnas indicou que "qualquer violação da lei eleitoral teria sido involuntária", já que ele "não era um doador experiente".

Mais Notícias