Topo

"Faziam a diferença": quem eram os médicos noivos que morreram em acidente

do UOL

Wagner Carvalho

Colaboração para o UOL, em Bauru (SP)

10/10/2019 20h07

Amigos e familiares dizem ainda não acreditar no acidente que vitimou em São Carlos (SP), a 247 km da capital, na última terça-feira, o casal de médicos Fernanda Coimbra Pacheco, 31, sepultada em Cornélio Procópio (PR), e Abner Brito Santos Donato, 31, enterrado em Guanambi (BA). Noivos, eles estavam de casamento marcado para 2020.

O casal, que se conheceu por intermédio de amigos durante um curso de especialização em Campinas (SP), tinha muito em comum, de acordo com familiares e amigos. Os dois eram muito próximos de suas famílias e faziam questão de acompanhar de perto os pacientes que todos os dias passavam por seus consultórios. Segundo familiares, ambos se formaram em medicina para poder ajudar os outros.

Ainda bastante abalada com a perda da filha, Mariza Coimbra Pacheco diz que Abner Donato era como um filho.

"Eles estavam juntos há pouco mais de cinco anos. Como a família dele é da Bahia, o Abner estava sempre aqui com a gente. Apesar dos compromissos profissionais, a Fernanda vinha todo final de semana ver a gente, tem a sobrinha que ela amava e não ficava longe", diz a mãe da médica.

O casal, que já morava junto, pretendia oficializar a união em março do ano que vem. A mãe de Fernanda conta que inicialmente o casamento seria em novembro, mas o casal aceitou mudar a data porque a irmã mais velha de Fernanda já namora há mais tempo.

"Já estava tudo certo, eles já tinham o lugar para a festa, o apartamento onde morar, o buffet, estava tudo acertado. Eles contavam os dias para essa união", afirma.

Medicina para poder ajudar

Mariza se recorda da filha sempre participativa na igreja evangélica frequentada pela família. "Desde muito nova, sempre pensou em ajudar, em interagir com as pessoas, fazer algo de bom para quem precisasse dela", conta. "Ela era filha que filha que todo pai queria ter, coração bom, inteligente, obediente."

"Ainda não dá para acreditar que ela não vai vir, não vai mais mandar mensagem, não vou ver mais o seu sorriso. Ficaram as mensagens que ele me mandava, sua voz e sempre nossa troca de amor e cuidado uma com a outra pelas mensagens", diz.

A mãe conta que Fernanda prestou vestibular para medicina por duas vezes, sempre por influência da irmã mais velha que já era médica, e passou em primeiro lugar. "Minha filha sempre foi muito apegada a Deus, grata pelas bençãos que recebia, de uma fé inabalável, e dizia que com a sua profissão queria honrar quem lhe honrava sempre", afirma Mariza.

Abner Donato, era muito ligado ao pai, aos irmãos e, segundo as pessoas próximas, tão altruísta quanto a noiva. O radialista Clovis Junior, amigo da família Donato há mais de 30 anos, conta que viu o jovem médico nascer em Guanambi.

"O Abner era o primeiro dos três filhos do amigo Rubens Donato e da Terezinha. Menino tímido, amante de bons cafés, de poucas palavras, estudioso e muito preocupado em ajudar, sempre querendo fazer mais pelas pessoas", diz o amigo.

No final de 2018, já especializado em medicina nuclear, Abner inaugurou em sua cidade natal uma clínica onde atendia a cada 15 dias.

"O Abner era um amante do conhecimento, sempre ajudando quem não podia pagar por sua consultas e tratamento, o importante para ele é ajudar que sempre que a ele procurasse", afirma o tio Gildemar Brito dos Santos.

Abalado com a morte prematura do sobrinho, Gildemar conta que Abner sempre o presenteava com um tipo de café diferente.

"Pessoas como o meu sobrinho e sua noiva, a Fernanda, não deveriam partir cedo assim, eles faziam a diferença na vida de muita gente", afirma. "Eles tinham um entusiasmo, uma química, que apesar da maturidade profissional, deixavam transbordar felicidade feito duas crianças."

O acidente

Na tarde de terça-feira (08), Fernanda e Abner seguiam pela Rodovia Thales de Lorena Peixoto Júnior (SP-318), que liga São Carlos até Ribeirão Preto (SP). Próximo a uma curva, o veículo invadiu a pista contrária, batendo de frente com um caminhão que seguia no sentido oposto. Chovia no momento do acidente.

De acordo com informações do boletim de ocorrência registrado pela Polícia Rodoviária, o impacto foi tão forte que partes do veículo Volskswagen UP onde estava o casal, como motor e rodas, foram lançadas a cerca de 100 metros de distância. O condutor do caminhão disse que tentou evitar o acidente, mas não conseguiu. Abner e Fernanda morreram na hora.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi escrito no título da matéria, o correto é "Quem eram os médicos", e não "Quem são os médicos". A informação foi corrigida

Mais Notícias