Topo

Bolsonaro: Maia deve colocar em votação na semana que vem acordo de Alcântara

12.jul.2012-Foto da nova Torre Movel de Integração (TMI) da Base Aérea de Alcântara (MA), que pesa 380 toneladas e tem novos sistemas de segurança e área de escape. A execução do projeto custou cerca de R$ 50 milhões - Lucas Lacaz Ruiz/Agência O Globo
12.jul.2012-Foto da nova Torre Movel de Integração (TMI) da Base Aérea de Alcântara (MA), que pesa 380 toneladas e tem novos sistemas de segurança e área de escape. A execução do projeto custou cerca de R$ 50 milhões Imagem: Lucas Lacaz Ruiz/Agência O Globo

Pedro Caramuru e Daniel Galvão

São Paulo

10/10/2019 20h51Atualizada em 10/10/2019 22h59

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 10, na transmissão semanal ao vivo pelo Facebook, que o projeto do acordo da Base de Alcântara (MA) será pautado no plenário da Câmara na próxima semana pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

"Estive a semana passada com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Ele é o dono da pauta no Parlamento e coloca em votação na semana que vem o acordo entre Brasil e Estados Unidos sobre o Centro de Lançamentos de Alcântara, para aumentar o seleto grupo de países que lança satélites", afirmou Bolsonaro. A resolução, se aprovada, permitiria o uso da base para fins comerciais.

Colégio militar

O presidente também comentou a inauguração do colégio militar previsto para funcionar onde hoje fica o aeroporto Campo de Marte (zona norte de São Paulo), que seria o maior do Brasil. "Já está bastante avançada a sua documentação para começar a construção no ano que vem", disse Bolsonaro. A obra faz parte do projeto do governo federal de parcerias com os Estados para a implementação de escolas cívico-militares.

Viagem

Bolsonaro comentou ainda a viagem diplomática para países orientais que deve começar no dia 21 deste mês. O primeiro país a ser visitado é o Japão para "entronização do 'rei'", em referência ao Imperador Naruhito.

Na sequência, a comitiva presidencial passará pela China, Catar, Arábia Saudita e Emirados Árabes, em uma viagem que deve durar 11 dias. "O mundo todo quer fazer negócio com o Brasil", afirmou Bolsonaro, que reforçou: "A palavra chave é 'confiança'".

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que informou o quarto parágrafo, o presidente Jair Bolsonaro fará uma visita a países orientais, e não ocidentais. A informação foi corrigida.

Mais Notícias