Topo

Senado discute banir venda de carros a combustão no Brasil a partir de 2060

Projetos para banir vendas de carros a combustão já existem em vários países - Renato Stockler/Folhapress
Projetos para banir vendas de carros a combustão já existem em vários países
Imagem: Renato Stockler/Folhapress
do UOL

Do UOL, em São Paulo (SP)

09/10/2019 16h25

Resumo da notícia

  • Projeto de lei segue modelo adotado em vários países da Europa
  • Proposta excluiria veículos movidos a biocombustível
  • Em caso de aprovação, projeto vai para Câmara dos Deputados, sem necessidade de ir a plenário

Um projeto de lei pode proibir a comercialização de veículos movidos a combustão a partir de 2060.

O PLS número 454/2017 é de autoria do Senador Telmário Mota (PTB-RR) e prevê que 90% dos veículos vendidos a partir de 2030, poderão ter motor a combustão.

O percentual cairia para 70% em 2040 e para 10% em 2050, até a proibição total em 2060. O veto, porém, não se aplicaria a veículos movidos por biocombustíveis.

Uma audiência pública foi realizada na última segunda-feira (7) e contou com a presença de representantes do governo e da indústria automotiva, incluindo membros da Associação Brasileira de Veículos Elétricos (ABVE) e da Associação de Fabricantes e Importadores de Ciclomotores.

O projeto já foi aprovado pela Comissão de Assuntos Econômicos e agora está na Comissão de Meio Ambiente, com relatoria do Senador Jean Paul Prates (PT-RN).

Caso também receba parecer favorável, o projeto segue para a Câmara dos Deputados, sem necessidade de ir a plenário.

Fim do motor a combustão: realidade em outros países

Diversas nações já estabeleceram prazos para banir a venda de veículos movidos a combustão.

A Noruega estabelecerá o veto a partir de 2025, enquanto na Holanda o prazo começa em 2030. Já na França e Reino Unido os carros abastecidos a gasolina ou diesel poderão ser comercializados somente até 2040.

Mais Notícias