Topo

Bolsonaro volta a atacar PSL: "Partido está estagnado"

3.out.2019 - O presidente Jair Bolsonaro durante solenidade - Isac Nóbrega/PR
3.out.2019 - O presidente Jair Bolsonaro durante solenidade Imagem: Isac Nóbrega/PR
do UOL

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

09/10/2019 18h40

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que seu partido "está estagnado". A declaração foi feita na saída do Planalto na noite de hoje (9).

"O pessoal quer um partido diferente, atuante, e o partido está estagnado", disse Bolsonaro aos jornalistas presentes.

Ontem, o presidente deu indícios de que pode deixar o partido, que tem em enfrentado disputas internas e sua bancada na Câmara está rachada.

Bolsonaro pediu a um apoiador para que esquecesse o PSL e afirmou que o presidente da sigla, o deputado Luciano Bivar (PE), "está queimado pra caramba" e vai "queimar o seu filme também".

Já hoje, Bivar declarou à BBC News Brasil que até a manhã de ontem "não tinha nenhum indicativo" de que Bolsonaro quisesse se afastar dele ou da legenda.

O líder do PSL no Senado, Major Olimpo (SP), também disse que o presidente não tem que brigar com o partido. De acordo com o senador, as declarações de Bolsonaro não têm a relação com as denúncias envolvendo o ministro do Turismo e supostas candidaturas-laranjas no ano passado.

"É essa a situação que está angustiando o presidente? Eu não acredito. Porque ele está se desgastando de manter no ministério alguém que hoje é acusado. Então, não é com o partido que ele tem que brigar", disse Olimpio em entrevista à Reuters.

Segundo os advogados Admar Gonzaga --ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral que tem atuado como conselheiro do presidente-- e Karina Cufa, que o defende em causas eleitorais, Bolsonaro está desconfortável com o PSL.

O presidente se reuniu na tarde de hoje com um grupo de parlamentares que estão do lado "rebelde" do PSL e defendem o racha na sigla, e os dois advogados.

Mais Notícias