Topo

Petrobras: mancha de petróleo no NE indica que algo extraordinário ocorreu

Divulgação/Adema
Imagem: Divulgação/Adema

Gabriel Ponte

Da Reuters, em Brasília

08/10/2019 17h39Atualizada em 09/10/2019 17h37

Pelo volume de petróleo coletado em praias do Nordeste, de mais de 500 barris, algo extraordinário aconteceu na costa brasileira, maior do que a simples lavagem de um tanque de algum navio, conforme alguns chegaram a especular sobre a origem da mancha de óleo, disse o presidente da Petrobras a jornalistas nesta terça-feira.

"Cento e trinta e três toneladas - são aproximadamente mais de 500 barris de petróleo, o que indica que não é simplesmente a lavagem de um tanque de navio. Alguma coisa extraordinária aconteceu, que não sabemos o que é, nem cabe à Petrobras a investigação. Temos outros órgãos, PF (Polícia Federal), Marinha, que têm essas atribuições. Petrobras somente explora e produz petróleo", disse Roberto Castello Branco, em Brasília.

Questionado sobre reportagens que apontaram, com base em análises da Petrobras, que a origem do petróleo seria na Venezuela, Castello Branco afirmou que o "relatório é reservado, confidencial da Petrobras para o Ibama".

"Eu não tenho autorização para divulgar. Há uma instituição de Estado", comentou.

Banco de óleo vai ajudar a investigar origem de manchas

Band Notí­cias

O Ibama atualizou na noite desta terça-feira o número de locais afetados pelo petróleo no nordeste. Agora já são 62 municípios e 138 praias afetadas. Dezesseis animais encontrados oleados. A Marinha também informou que 1.583 militares, cinco navios, um helicóptero, embarcações e carros de capitanias dos portos dos estados estão envolvidos em ações de investigação das manchas na costa do nordeste.

Mais Notícias