Topo

TRF-4 rejeita pedido de Lula para afastar procurador de caso de sítio

Procurador Maurício Gotardo Gerum, no julgamento do ex-presidente Lula na 8ª Turma do TRF4, em Porto Alegre - Sylvio Sirangelo/TRF4
Procurador Maurício Gotardo Gerum, no julgamento do ex-presidente Lula na 8ª Turma do TRF4, em Porto Alegre Imagem: Sylvio Sirangelo/TRF4
do UOL

Do UOL, em São Paulo

20/09/2019 07h55

Uma solicitação da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para afastar Maurício Gerum, procurador do processo do sítio de Atibaia (SP), foi rejeitada pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região).

O processo faz parte da Operação Lava Jato e, atualmente, se encontra na esfera da segunda instância.

No pedido, Lula e seus advogados afirmam que Gerum possui parentesco com o procurador da República Diogo Castor de Mattos e que, por isso, deveria ser afastado, segundo o "G1". Mattos é o responsável por subscrever a denúncia contra o petista.

É a segunda vez que o TRF-4 não aceita um pedido de Lula para afastar pessoas ligadas ao caso do sítio. Em julho deste ano, a defesa do ex-presidente tentou fazer o mesmo com dois desembargadores.

No caso, os advogados pediam que João Pedro Gebran Neto e Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz fossem afastados sob a alegação de ausência de imparcialidade. Mas o TRF-4, por unanimidade, negou o pedido e manteve os nomes no processo.

Lula, que está preso no prédio da Superintendência Regional da PF envolvendo o caso do tríplex, em Guarujá (SP), foi condenado em primeira instância a 12 anos e 11 meses de prisão no episódio do sítio atribuído a ele no interior de São Paulo.

Mais Notícias