Topo

Nigeriano diz que não autorizou uso de imagem em vídeo do governo; EBC nega

do UOL

Afonso Ferreira

Do UOL, em São Paulo

12/09/2019 08h52Atualizada em 12/09/2019 19h59

Um nigeriano que aparece em um vídeo institucional do governo cantando o Hino Nacional afirma que sua imagem foi usada sem que ele autorizasse. Em uma publicação no Instagram, o professor de línguas Dammy Falade disse que não assinou nenhum termo liberando o uso de sua imagem e que "detesta tudo o que esse governo representa".

No vídeo acima, lançado pelo governo em comemoração ao Dia da Independência, é possível ver o nigeriano entre 51 e 54 segundos. Procurada pelo UOL, a EBC (Empresa Brasileira de Comunicação), que produziu o vídeo, respondeu em nota enviada à reportagem à noite que Falade foi, sim, informado de que o vídeo seria usado para divulgação da Presidência da República (leia a nota completa abaixo).

Na rede social, Falade compartilhou algumas mensagens privadas que recebeu de pessoas perguntando se era ele no vídeo. Também há um trecho de uma conversa com um advogado na qual tratam de uma possível ação judicial.

"Depois de várias mensagens que recebi de vários amigos e conhecidos, decidi fazer esse post esclarecendo os fatos. Primeiramente, detesto tudo o que esse governo representa", declarou.

O nigeriano Dammy Falade aparece em vídeo institucional do governo cantando o Hino Nacional - Reprodução/Youtube
O nigeriano Dammy Falade aparece em vídeo institucional do governo cantando o Hino Nacional
Imagem: Reprodução/Youtube

O nigeriano escreveu que foi a Brasília em 27 de agosto para renovar seu passaporte no consulado da Nigéria. Como tinha algumas horas até embarcar em voo de volta para Salvador, decidiu aproveitar o tempo livre para conhecer alguns pontos turísticos da capital federal.

Quando estava em frente ao Museu Nacional, ele disse que viu "um pessoal com câmeras" e pediu para que eles o filmassem dançando no local. Ao pedir o celular de volta, uma dessas pessoas teria dito que estava gravando um documentário sobre o Hino Nacional e pedido para gravá-lo cantando o hino. Falade diz ter aceitado o pedido na expectativa de fazer novas amizades.

"Eu faço parte de um grupo de dança, e algum membro me pediu para dançar em um desses lugares públicos. Cheguei em frente ao Museu Nacional, e vi um pessoal com câmeras, imaginei que eles fossem turistas também. Fui lá e dei meu celular para um deles me filmar dançando. Depois da minha dança, fui pegar meu celular de volta e um deles me disse que estavam fazendo um documentário sobre o Hino Nacional, que existe muita gente que não sabe cantar e canta engraçado, e pediram para eu tentar cantar. Na vibe de amizades novas, cantei dando risada, nos despedimos e continuei no meu caminho", disse.

Nas mensagens compartilhadas pelo nigeriano, ele se diz surpreso com sua aparição no vídeo. "Eita! Fud*** minha imagem", escreveu em resposta a um contato.

EBC diz que nigeriano sabia objetivo da gravação

Em nota, a EBC contrariou a versão de Dammy Falade e informou que ele foi informado de que se tratava de vídeo para divulgação da Presidência. Leia abaixo o comunicado na íntegra.

"A Empresa Brasil de Comunicação produziu o vídeo com autoridades e a população cantando o hino nacional, em homenagem ao Dia da Independência. Informamos que os profissionais da EBC, devidamente uniformizados e identificados com crachá, estavam posicionados com equipamentos de gravação em frente ao Museu Nacional de Brasília, quando convidaram Dammy Falade a participar do vídeo.

A equipe informou que o vídeo institucional, sem fins comerciais, estava sendo produzido para divulgação da Presidência da República"

Mais Notícias