Topo

Trump adia elevação de tarifas contra China

11/09/2019 21h42

Washington, 12 Set 2019 (AFP) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta quarta-feira que concordou em adiar por duas semanas o aumento das tarifas sobre US$ 250 bilhões em produtos chineses e que tomou a decisão a pedido de Pequim.

"A pedido do vice-premier da China Liu He e diante da celebração, a partir de 1º de outubro, do 70º aniversário da República Popular da China, concordamos, como um gesto de boa-fé, em adiar as tarifas mais alta sobre 250 milhões de dólares em produtos (de 25% para 30%) até 15 de outubro", tuitou Trump.

Em um esforço para limitar o impacto da disputa comercial em sua economia, a China havia anunciado previamente a anulação de tarifas suplementares sobre 16 categorias de produtos procedentes dos Estados Unidos.

As duas principais economias do mundo estão envolvidas, desde março de 2018, em uma guerra de tarifas totalizando centenas de bilhões de dólares.

Apesar de várias tentativas, as negociações entre Pequim e Washington não prosperaram.

No início de maio, as duas partes estavam a ponto de firmar um acordo comercial quando as conversações foram interrompidas abruptamente. A administração Trump acusou a China de não cumprir os compromissos acertados.

Washington exige que as autoridades chinesas acabem com práticas comerciais "injustas", em particular a transferência forçada de tecnologia, subsídios em massa e roubo de propriedade intelectual.

O presidente americano afirma que só firmará um bom acordo, com "mudanças estruturais".

Após o fracasso das negociações, em maio, as tensões comerciais se intensificaram e a guerra tarifária voltou.

Washington anunciou em 1º de setembro o aumento das tarifas sobre vários produtos chineses e Trump promete até o final do ano taxas todas as importações da China, que em 2018 somaram 540 bilhões de dólares.

dt/dga/lr

Mais Notícias