Topo

Suprema Corte autoriza governo dos EUA a restringir asilo a imigrantes

11/09/2019 21h27

Washington, 11 set (EFE).- A Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu nesta quarta-feira autorizar, de forma temporária, o governo de Donald Trump a negar asilo a imigrantes que tenham passado por outros países sem pedir o mesmo tipo de proteção.

A medida deve afetar especialmente cidadãos de países da América Central, que fogem da pobreza e da violência nas cidades onde vivem e partem para buscar uma vida melhor no território americano, cruzando o México em seu caminho rumo à fronteira.

Por sete votos a favor e dois contrários, a Suprema Corte decidiu suspender uma decisão de uma instância inferior que bloqueava a medida enquanto analisa o caso. Desta forma, mesmo sem uma sentença definitiva, o governo de Trump está autorizado a negar os pedidos desses imigrantes.

O presidente americano foi rapidamente ao Twitter comemorar a decisão da Suprema Corte, chamando-a de "grande vitória".

As mudanças na política migratória foram anunciadas em julho. Em decreto, Trump proibia imigrantes que passaram por outros países sem pedir asilo aos respectivos governos de fazer a solicitação aos EUA ao chegarem à fronteira sul.

O decreto havia sido suspenso por um juiz federal da Califórnia. A Casa Branca recorreu, levando o caso à Suprema Corte.

Desde que chegou ao poder, Trump tornou os pedidos de asilo um de seus alvos políticos. Ele considera que os imigrantes abusam da legislação para entrar e trabalhar nos EUA.

Segundo dados oficiais, há 436 mil pedidos de asilo em análise no país. Nos últimos meses, o número de imigrantes da América Central que chegaram aos EUA cresceu. Maio foi o mês de maior fluxo desde 2006, com a prisão de mais de 132 mil pessoas que cruzaram a fronteira sem autorização do governo americano.

Trump vem tomando várias medidas para dificultar a migração, como separar pais de seus filhos mais novos após a passagem pela fronteira ou devolver ao México aqueles que pediram asilo aos EUA enquanto eles aguardam a resolução de seus casos.

No entanto, impedir que os imigrantes façam os pedidos depois de cruzarem outros países sem requisitar a mesma proteção é a principal aposta da Casa Branca para conter o fluxo migratório na fronteira sul. EFE

Mais Notícias