Topo

Millennials da Índia preferem usar Uber do que comprar carros

Vrishti Beniwal

11/09/2019 07h54

(Bloomberg) -- Os millennials da Índia preferem utilizar serviços de transporte como Uber e Ola em vez de comprar um carro. Esta é uma das razões por trás da queda das vendas de veículos no país, e não os altos impostos, segundo a ministra das Finanças, Nirmala Sitharaman.

A ministra defendeu o argumento na terça-feira, quando comentou as medidas tomadas pelo governo para revitalizar a demanda e acelerar o crescimento econômico, cuja taxa de 5% é a mais lenta em seis anos.

Embora montadoras tenham pedido um corte dos impostos sobre vendas de veículos de 28% para 18% com o objetivo de aumentar a demanda, Sitharaman disse que "a mentalidade dos millennials, que agora preferem ter Ola e Uber ao invés de se comprometerem a comprar um automóvel", explica em parte por que as vendas foram afetadas.

Esta não é a primeira vez que serviços prestados pelo Uber e ANI Technologies são responsabilizados pelas vendas fracas. Segundo um estudo do banco central da Índia de abril, a queda das vendas totais de automóveis nos últimos dois anos pode ser atribuída em parte ao surgimento dos aplicativos de transporte.

Na semana passada, Uday Kotak, o banqueiro mais rico da Ásia, disse que seu filho se sentia "mais confortável" com a Ola e o Uber, sugerindo que os carros não são mais um símbolo de status. "O setor automotivo realmente precisa focar em estar ciente de algumas das mudanças estruturais que estão acontecendo diante de nós."

Sitharaman anunciou medidas no mês passado para apoiar o setor, que incluíam mais incentivos fiscais para a compra de veículos novos e suspensão de restrições em departamentos do governo para a substituição de automóveis antigos. As vendas de veículos registraram queda mensal recorde em agosto: baixa de 41% em relação ao ano anterior, para 115.957 unidades.

O comércio de carros não foi o único atingido. As vendas de caminhões e ônibus caíram 39% em agosto, destacando que o problema da demanda vai além dos millennials e de suas preferências.

Para contatar a editora responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Mais Notícias