Topo

Furacão Dorian pode ter deixado 3 mil desaparecidos nas Bahamas, diz governo

11/09/2019 20h09

San Juan, 11 set (EFE).- As autoridades de emergência das Bahamas fizeram uma estimativa de que o número provisório de pessoas desaparecidas após a passagem do furacão Dorian pelo arquipélago é de cerca de 3 mil, e pelo menos 50 pessoas morreram, segundo os dados oficiais.

Em entrevista coletiva, o porta-voz da Agência de Gestão de Emergências das Bahamas (Nema), Carl Smith, reiterou que mais pessoas morreram em decorrência dos estragos causados pelo Dorian. Por outro lado, a quantidade de desaparecidos deverá cair porque ainda é preciso contrastar com o número de hospedados nos refúgios em Nova Providência, onde está localizada a capital, Nassau.

Por outro lado, o governo das Bahamas negou informações divulgadas nas redes sociais e pela imprensa local, que apontam que o furacão deixou milhares de mortos no arquipélago.

O ministro de Segurança Nacional, Marvin Dames, disse a jornalistas nesta quarta-feira se sentir preocupado com as informações que o número de mortos é de cerca de 3 mil, a maioria nas Ilhas Ábaco e em Grand Bahama, assim como alguns cayos, os lugares mais afetados pelo ciclone.

"Temos que ser extremamente cautelosos com essas notícias, pois afetam pessoas emocionalmente muito afetadas. Quando publicamos essas informações nas redes sociais ou outros na imprensa, as coisas podem se complicar", considerou.

"Escutei pessoas dizendo que o governo está escondendo os corpos. Por que acreditam que nós fazemos isso? Só me digam: o que ganhamos com isso?", questionou Dames, que completou afirmando que gostaria de saber onde estão os corpos e ir até eles para resgatá-los.

Ainda segundo Dames, as equipes de resgate continuam inspecionando meticulosamente as áreas mais afetadas. "Só poderemos contar os corpos que forem encontrados", afirmou o ministro, admitindo que, devido às fortes inundações, teme que alguns Jamais sejam achados. EFE

Mais Notícias