Topo

Candidato do governo no Uruguai defende redução de déficit fiscal

11/09/2019 17h38

Montevidéu, 11 Set 2019 (AFP) - O candidato à Presidência nas eleições de outubro no Uruguai pelo partido atualmente no poder, Frente Ampla (esquerda), Daniel Martínez, defendeu nesta quarta-feira (11) a redução do déficit das contas públicas e criar uma estratégia "agressiva" de inserção internacional.

Ao apresentar seu programa de governo a empresários, o ex-prefeito de Montevidéu, de 62 anos, defendeu a gestão de partido - há 15 anos no poder - e afirmou que a única variável econômica que não está sob controle é o déficit fiscal, que alcança 4,9% do PIB após 16 anos de expansão.

Para solucionar o problema, Martínez prometeu "corrigir a trajetória do gasto público" mudando "a lógica incremental" do orçamento.

"O gasto público tem que ser menor que a economia", afirmou o engenheiro que corre como favorito nas pesquisas, com 30% das adesões, uma cifra que segundo o sistema eleitoral uruguaio, lhe deixa em sua situação difícil diante da oposição que, em bloco, soma uma maioria de votos.

A Frente Ampla, que governa com maioria parlamentar absoluta desde 2005, enfrenta um cenário eleitoral complexo, em meio à estagnação econômica e ao forte nível de desemprego, que alcançou 9,1% em julho, com uma queda constante na quantidade de postos de trabalho disponíveis.

De acordo com Martínez, a "economia (está) estagnada devido a um contexto global complexo e à crise brutal na região".

Consultado sobre uma eventual alta de impostos para cobrir o rombo nas contas do Estado - como fez o atual governo de Tabaré Vázquez e como defendem alguns economistas -, Martínez se mostrou prudente e embora não tenha anunciado aumento de tributos, tampouco se comprometeu a não fazê-lo.

Martínez prometeu impulsionar uma "inserção internacional mais agressiva", um tema delicado para a coalizão Frente Ampla, já que vários setores importantes de sua estrutura, como o Partido Comunista, se opõem aos acordos de livre-comércio.

Martínez ainda garantiu que promoverá um "salto de qualidade" dos produtos uruguaios.

mr/gm/ll

Mais Notícias