Topo

Tribunais de NY registram centenas de processos de abuso sexual de menores

14/08/2019 19h36

Nova York, 14 Ago 2019 (AFP) - Os tribunais de Nova York registraram nesta quarta-feira (14) centenas de processos civis por abuso sexual de menores, em virtude de uma nova lei que, ao longo de um ano, permite às vítimas pedir reparação independentemente de quando o crime ocorreu.

O estado de Nova York ratificou em fevereiro o Child Victims Act (lei das crianças vítimas), para alegria de associações de vítimas e apesar de uma luta antiga da Igreja católica contra sua aprovação.

A nova legislação concede um período extraordinário de um ano, a partir desta quarta, durante o qual o crime não prescreve.

Ainda não se sabe a quantidade exata de processos apresentados nesta quarta-feira nos diversos tribunais deste estado de 20 milhões de habitantes - dos quais 7 milhões são católicos.

O advogado Jeff Anderson, especializado na defesa de vítimas de crimes sexuais, garantiu que sua firma apresentou mais de 200 processos em nome de supostas vítimas da Igreja, além de outras contra líderes dos Boy Scouts, professores e médicos.

"É um grande momento para os corajosos sobreviventes que esperaram tanto tempo para obter justiça em Nova York", afirmou. "Eles têm a possibilidade de recuperar o poder que lhes foi tirado quando eram meninos e, assim, começar sua cura".

"Nunca imaginei que este dia ia chegar", afirmou uma das clientes do advogado, Jeanne Marron, que conta que uma professora abusou sexualmente dela em sua escola católica na década de 1970, quando tinha 15 anos.

O fluxo de casos esperado é tamanho que as autoridades nomearam 45 juízes, 12 deles na cidade de Nova York, especificamente para tratar deles, informou o chefe dos tribunais do estado em um comunicado.

Esses casos são "muito importantes, apresentam muitos aspectos legais e devem ser julgados da forma mais coerente e rápida possível", disse.

cat/leo/dga/gma/ll/mvv

Mais Notícias