Topo

Pompeo reconhece avanços do México em redução da migração irregular

21/07/2019 20h56

México, 21 Jul 2019 (AFP) - O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, reconheceu neste domingo "os avanços significativos" do México para frear a migração ilegal, afirmou a chancelaria mexicana em um comunicado.

Pompeo se reuniu neste domingo com o chanceler mexicano Marcelo Ebrard, no âmbito de uma viagem pela América Latina que incluiu escalas na Argentina e no Equador. A viagem de Pompeo terminou em El Salvador, aonde o secretário de Estado chegou na tarde deste domingo para se reunir com o presidente Nayib Bukele.

Além da questão migratória, também foi abordado no México o tema do dinheiro do narcotraficante Joaquín "El Chapo" Guzmán, condenado na semana passada à prisão perpétua nos Estados Unidos, assim como o tráfico ilegal de armas americanas para o México.

O Departamento de Estado indicou que Pompeo e Ebrard abordaram, além da questão migratória, o acordo comercial entre Estados Unidos, México e Canadá e seu "compromisso conjunto para promover oportunidades e prosperidade econômica no sul do México".

O Departamento de Estado indicou em sua nota que Pompeo "agradeceu" a Ebrard pelos "maiores esforços do México" para frear a migração, pois "os indicadores iniciais sugerem que estão levando a uma redução do fluxo de migrantes ilegais que chegam à fronteira sul dos Estados Unidos".

A chancelaria mexicana foi além e disse que Pompeo "reconheceu os avanços significativos das operações mexicanas, em cumprimento ao acordo entre os dois países alcançado em 7 de junho em Washington D.C", afirmou a chancelaria.

"Em virtude de tais avanços", Ebrard "não considera necessário iniciar nenhum tipo de negociação com relação a um eventual acordo de Terceiro País Seguro entre México e Estados Unidos", acrescentou.

O conceito diplomático de Terceiro País Seguro significaria neste caso que o México receberia os solicitantes de refúgio aos Estados Unidos.

Na reunião com Pompeo, o chanceler mexicano "detalhou que a estratégia migratória para garantir fluxos ordenados, seguros e regulares continuará durante os próximos 45 dias".

O governo mobilizou em junho milhares de soldados e policiais em suas fronteiras, e aumentou as detenções e deportações de migrantes, principalmente famílias centro-americanas.

Pompeo e Ebrard abordaram, ainda, a condenação à prisão perpétua do narcotraficante mexicano Joaquín "El Chapo" Guszmán nos Estados Unidos.

No encontro "foi considerada a formação de um grupo binacional para recuperar os bens e ativos vinculados com Joaquín Archivaldo Guzmán Loera", indicou a chancelaria.

Após a sentença de "El Chapo", o presidente mexicano, o esquerdista Andrés Manuel López Obrador, disse que o dinheiro que foi obtido no México "tem que ser devolvido".

O governo americano busca requisitar mais de 12,6 bilhões de dólares.

Por outro lado, Ebrard reiterou ao governo dos Estados Unidos uma velha petição: a implementação de um operativo conjunto "para frear o tráfico ilegal de armas que entram" no México pelas cidades de San Diego (Califórnia), El Paso, McAllen e Brownsville (Texas).

- Cooperação com El Salvador -Em El Salvador, Pompeo se reuniu neste domingo com o presidente, Nayib Bukele, e ambos se comprometeram a estreitar a cooperação para reduzir a migração irregular.

Após uma reunião de pouco mais de uma hora na sede do governo em San Salvador, Pompeo disse em coletiva de imprensa que para enfrentar o problema da "migração ilegal" os dois países necessitam trabalhar "de forma conjunta, ter uma segurança fronteiriça mais forte".

"Queremos que as pessoas fiquem em seus próprios países, não emigrem", declarou Pompeo, lembrando que "a pobreza e as gangues" são dois elementos que motivam a migração irregular.

Bukele estimou que eles vão resolver "juntos" o problema da migração, e para isso buscarão "fortalecer" a relação bilateral "em todas as áreas".

Pompeo e os ministros salvadorenhos de Exteriores, Alexandra Hill, e Defesa, René Merino, junto com o chefe do Comando Sul dos Estados Unidos, Craig Faller, assinaram um acordo para que continue funcionando um centro aéreo contra o narcotráfico em El Salvador.

Após concluir sua visita, Pompeo se dirigiu à base aérea de Comalapa, contígua ao aeroporto internacional, de onde partirá para Orlando, Estados Unidos.

jg/yow/db

Mais Notícias