Topo

Cultivo de coca na Colômbia cai pela 1ª vez em 6 anos, segundo EUA

2019-06-26T13:41:00

26/06/2019 13h41

Washington, 26 jun (EFE).- Os cultivos de folha de coca na Colômbia diminuíram em 2018 pela primeira vez em seis anos, embora a queda tenha sido de apenas meio ponto percentual, de acordo com uma estimativa divulgada nesta quarta-feira pela Casa Branca.

Em comunicado, o governo dos Estados Unidos disse que as áreas semeadas de coca no ano passado alcançaram 208 mil hectares, o que representa uma "pequena queda" de mil hectares (0,5%) com relação a 2017, quando bateu o recorde de 209 mil hectares.

O cálculo anual sobre a produção de cocaína na Colômbia, publicado pelo Escritório de Política Nacional para o Controle de Drogas da Casa Branca (ONDCP, na sigla em inglês), revelou que o cultivo "manteve níveis históricos em 2018", mas "foi o primeiro ano em que a colheita não aumentou desde 2012".

"O cultivo de coca e a produção de cocaína na Colômbia seguem altos, mas estão se estabilizando", avaliou o ONDCP em comunicado.

Especificamente, sobre a produção potencial de cocaína, o ONDCP disse ter observado "uma pequena diminuição" em 2019, quando esse número passou de 900 toneladas métricas puras em 2017 a 887 durante 2018.

A Casa Branca atribui a diminuição dos cultivos e da produção potencial de cocaína ao trabalho que o presidente da Colômbia, Iván Duque, fez para erradicar a semeadura ilícita e fechar os laboratórios de produção desde que tomou posse em agosto de 2018.

O governo dos EUA destacou que, com Duque, se erradicou 56% mais de coca ao mês que durante o governo do seu antecessor, Juan Manuel Santos (2010-2018).

"Trabalhando junto ao presidente Duque, vimos que a Colômbia fez progressos em conseguir nosso objetivo partilhado de reduzir o cultivo de coca e a produção de cocaína", destacou em comunicado o diretor do ONDCP, Jim Carroll.

"A aliança entre nossos dois países deve continuar sendo forte enquanto lutamos para cumprir nossos objetivos: tomar medidas contra aqueles que se beneficiam do tráfico de drogas e deter o fluxo mortal de drogas que chegam aos EUA", acrescentou.

O relatório anterior da Casa Branca mostrou que os cultivos de coca em 2017 alcançaram a superfície recorde de 209 mil hectares, o que gerou tensões na relação entre Colômbia e EUA.

Em março, o presidente dos EUA, Donald Trump, causou polêmica ao dizer que Duque era "realmente um bom sujeito", mas que, desde que assumiu a presidência, chegavam mais drogas ao território americano.

Trump e Duque se reuniram na Casa Branca em fevereiro e, então, o governante americano insinuou que a Colômbia estava atrasada na erradicação de cultivos de coca.

Os EUA proporcionaram ajuda ao país latino-americano durante 15 anos para a erradicação de áreas semeadas de coca sob o chamado "Plano Colômbia", reformulado agora como "Paz Colômbia". EFE

Mais Notícias