Topo

Trump acaba de desmantelar plano anticarvão de Obama

2019-06-19T19:01:00

19/06/2019 19h01

Washington, 19 Jun 2019 (AFP) - O governo do presidente Donald Trump terminou nesta quarta-feira (19) de desmantelar um plano da era Obama que buscava cortar emissões de usinas elétricas alimentadas a carvão, e apresentou um novo plano anti-CO2 muito mais permissivo.

Os democratas criticaram duramente a eliminação do Clean Power Plan ("Plano de Energia Limpa") de Barack Obama, que não estava isento de polêmica, e qualificaram o novo projeto, intitulado Affordable Clean Energy ("Energia Limpa Acessível"), como "um presente para os que mais poluem".

A realidade, no entanto, resulta mais complexa considerando que a matriz energética dos Estados Unidos continua se afastando do carvão e indo em direção ao gás natural - produto do auge do fracking - e a fontes renováveis.

Segundo projeções oficiais, o setor energético reduzirá em 13% as emissões de dióxido de carbono em 2019 em comparação com níveis de 2005. Entre 2005 e 2015, o CO2 emitido por carvão teve uma queda significativa de 39%.

Trump anunciou em 2017 sua intenção de erradicar o Clean Power Plan de Obama, que foi apresentado pelo então presidente em 2015 mas enfrentou uma forte oposição de estados e companhias. Em fevereiro de 2016, a Suprema Corte deixou em suspenso a aplicação do plano.

"Em vez de penalizar a produção americana e ceder o mercado ao carvão chinês, que é o que o plano de Obama fazia, estamos nivelando o campo de ação e fomentando a inovação e a tecnologia em todo o setor [energético]", disse em uma coletiva de imprensa o chefe da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA), Andrew Wheeler.

A presidente da Câmara de Representantes, a democrata Nancy Pelosi, qualificou o novo plano de Trump como um "presente surpreendente aos maiores poluentes".

"Ao revogar o histórico Clean Power Plan, o governo Trump redobra seu ataque à saúde e ao bem-estar de nossas crianças", disse.

Mais Notícias