Topo

Conflitos urbanos em assentamentos pré-históricos

Alexander Freund (fc)

2019-06-19T06:06:00

19/06/2019 06h06

Pesquisadores retiram 742 esqueletos humanos de fossas em Catalhoyouk, no sul da Turquia, que mostram que vida entre humanos nem sempre era livre de conflitos e doenças, mesmo nos assentamentos de 12 mil anos atrás.Após a última era glacial – quando as temperaturas subiram novamente, e a cobertura de gelo recuou – a vida moderna começou. Entre 12 mil e 10 mil anos atrás, caçadores e coletores abandonaram o seu estilo de vida nômade e se estabeleceram em certas regiões. Eles cultivavam trigo, cevada e centeio; criavam animais como ovelhas, cabras e vacas. A partir daí, os primeiros grandes povoamentos foram estabelecidos.

Um dos exemplos era o assentamento de Catalhoyuk, de 13 hectares, localizado no sul da atual Turquia. Entre 9.100 e 7.950 anos atrás, de 3.500 a 8 mil pessoas viviam em construções de argila nesta protocidade.

Algumas casas eram decoradas com murais elaborados e outras obras de arte, incluindo esculturas de pedras de animais e mulheres corpulentas.

As salas de estar podiam ser alcançadas por meio de escadas, e as casas eram interligadas por seus telhados. Quando alguém morria, o corpo era enterrado em fossas localizadas debaixo das casas.

Exatamente nestes locais, os pesquisadores escavaram 742 esqueletos humanos que dão conclusões interessantes sobre a convivência nem sempre livre de conflitos em assentamentos pré-históricos.

Os achados mostram de forma impressionante que os antigos habitantes de Catalhoyouk já tiveram que lutar há milhares de anos contra problemas semelhantes aos de hoje.

Por meio da análise de ossos e dentes, os pesquisadores foram capazes de provar que houve uma alta taxa de infecção nos primórdios desta cidade. A higiene era totalmente inadequada, e as doenças se espalhavam rapidamente.

Os pesquisadores encontraram também inúmeros indícios de violência entre os habitantes. Muitos crânios apresentaram fraturas cicatrizadas na parte superior ou posterior do crânio, sendo que alguns deles apresentaram também lesões múltiplas.

Há muitas indicações de que estas lesões foram causadas por bolas duras de argila, que foram encontradas em grande quantidade em Catalhoyuk. Estes projéteis de argila eram disparados por meio de um estilingue.

"A mensagem principal dessas descobertas é que nosso comportamento atual está profundamente enraizado na história humana", escreveu Clark Spencer Larsen, antropólogo da Ohio State University, na revista Procedimentos da Academia Nacional de Ciências.

Ele contou também que, como resultado da convivência nesses assentamentos, as pessoas eram confrontadas com desafios que tratavam de questões fundamentais como: o que comer? Quem deve produzir os alimentos e como eles devem ser distribuídos? O trabalho deve ser dividido de acordo com quais normas sociais? Como prevenir doenças infecciosas apesar da falta de saneamento? Como funciona a convivência social, mesmo com animosidades isoladas?

Em Catalhoyouk, a comunidade homogênea praticou amplamente essa convivência complexa de forma ininterrupta por 1.150 anos, até a "metrópole" pré-histórica ser totalmente abandonada.

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube

| WhatsApp | App | Instagram | Newsletter


Autor: Alexander Freund (fc)

Mais Notícias