Topo

Trump critica declarações de Draghi e cita competição injusta

2019-06-18T08:22:49

18/06/2019 08h22

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou as declarações do presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, sobre possíveis mudanças na política monetária pelo BCE, afirmando que elas provocariam competição injusta da Europa contra os EUA.

"Mario Draghi acabou de anunciar que mais estímulo pode ocorrer, o que imediatamente derrubou o euro contra o dólar, tornando injustamente mais fácil para eles competirem contra os EUA. Eles têm conseguido isso por anos, junto com a China e outros", escreveu Trump no Twitter.

Draghi afirmou mais cedo que novos cortes de juros ou compras de ativos podem ser necessários se a inflação da zona do euro não acelerar.[nL2N23P08X]

""Na ausência de melhora, como se o retorno da inflação ao nosso objetivo estiver ameaçado, estímulo adicional será necessário", disse Draghi em conferência anual do BCE em Sintra, Portugal.

Os comentários derrubavam o euro em cerca de 0,3% em relação ao dólar, enquanto as ações devolviam as perdas anteriores e os rendimentos dos títulos caíam ainda mais.

Trump criticou repetidamente a manipulação cambial por outros países com os quais os EUA possuem grandes déficits comerciais, dizendo que moedas mais fracas no exterior dão aos parceiros comerciais uma vantagem injusta e prejudicam os trabalhadores norte-americanos.

Se a moeda de um país é artificialmente baixa, suas exportações são mais competitivas. Taxa de juros mais alta nos EUA geralmente aumenta o valor do dólar, tornando as exportações dos EUA mais caras.

Em junho, Trump criticou a China, com a qual ele está envolvido em uma disputa comercial, por desvalorizar sua moeda e disse que o fato criou um campo desigual para o comércio.

Trump vem criticando o banco central dos EUA por seus recentes aumentos na taxa de juros e vem pressionando o Federal Reserve a cortar os custos dos empréstimos em uma reunião de política monetária esta semana. Mas o Fed deve deixar os juros inalterados na quarta-feira.

(Reportagem de Susan Heavey)

Mais Notícias