Topo

Espécie rara, filhote de onça preta é encontrado perdido no interior de MT

do UOL

Leonardo Martins

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2019-06-17T16:10:05

17/06/2019 16h10

Um filhote de onça preta de três meses foi resgatado pela Sema (Secretaria de Estado de Meio Ambiente) de Mato Grosso na última quinta-feira (13) na cidade de Paranaíta, distante cerca de 840 km da capital do estado, Cuiabá. O animal foi encontrado sem a mãe em uma área de pastagem por um morador, que chegou a ficar com ele por uma semana em casa e depois o entregou aos profissionais da secretaria, devido a seu estado debilitado.

O animal passa por tratamento médico no Hospital Veterinário da UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso), no município de Sinop. Exames feitos apontaram desidratação e desequilíbrio nutricional, além de um quadro de cegueira que, de acordo com Christiano Justino, coordenador de Fauna e Recurso Pesqueiro da Sema, é consequência do período de tempo que ele passou sem ter alimentação adequada.

O animal, popularmente conhecido como onça preta, na verdade é uma onça-pintada, conforme explica Justino. Sua coloração preta e uniforme se deve ao melanismo, alteração genética rara que aumenta a concentração de pigmentos da cor preta no corpo, camuflando suas pintas.

Justino diz que, de acordo com parâmetros da IUCN (União Internacional para Conservação da Natureza), a onça preta está classificada como "quase ameaçada de extinção".

Divulgação/Sema-MT
Filhote de onça preta de três meses encontrado debilitado e sem a mãe no interior de Mato Grosso Imagem: Divulgação/Sema-MT

A espécie é rara e dificilmente encontrada pela região onde o filhote foi resgatado. "O estado de Mato Grosso tem uma biodiversidade bastante diversificada. Encontrarmos animais na natureza significa que a preservação ainda é boa. O avanço da cidade ainda não está impactando muito", disse Justino.

A expectativa para recuperação do animal é alta, segundo o pesquisador. O filhote segue em tratamento para repor os nutrientes necessários. Segundo a Sema, assim que estiver totalmente recuperado, os pesquisadores decidirão se ele terá soltura monitorada ou se será destinado a um cativeiro.

A Sema diz ser comum pessoas encontrarem animais e tentarem cuidar deles em suas casas, como no caso do morador que achou o filhote, mas que, sem alimentação e cuidado adequados, a vida do bicho pode ser prejudicada. A recomendação é para que, caso algum morador encontre animais silvestres, que acione os órgãos competentes o quanto antes.

Mais Notícias