Topo

PGR indica quem receberá R$ 25 milhões pagos pela Odebrecht na Lava Jato

ESTADÃO CONTEÚDO
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge Imagem: ESTADÃO CONTEÚDO
do UOL

Marcela Laite

Do UOL, em São Paulo

2019-05-23T21:22:13

23/05/2019 21h22

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, encaminhou ao STF (Supremo Tribunal Federal) o detalhamento da destinação de R$ 25 milhões em multas pagos Odebrecht no âmbito da Operação Lava Jato.

O valor é resultado de cinco acordos de colaboração premiada firmada por executivos da empresa.

No pedido encaminhado ao relator da Lava Jato no Supremo, o ministro Edson Fachin, Dodge determina assim a distribuição dos valores:

  • União: R$ 16 milhões
  • Órgãos estaduais e municipais: R$ 3 milhões
  • FI-FGTS (Fundo de Investimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço): R$ 1 milhão
  • Petros (fundo de pensão da Petrobras): R$ 340 mil
  • Petrobras: R$ 320 mil

Nos documentos, Dodge diz que os acordos visam "a reparação dos danos sofridos pelas vítimas e pela coletividade".

Ela também afirma que a colaboração premiada não atingiria seu fim pleno se não estabelecesse sanções patrimoniais aos infratores, levando em consideração o impacto financeiro dos crimes cometidos no âmbito da Lava Jato.

Segundo a PGR, somente um dos colaboradores chegou a pagar uma multa que ultrapassa os R$ 16 milhões. O nome dele, no entanto, é mantido sob sigilo.

    Em live no Facebook na última quinta-feira (16), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que R$ 2,5 bilhões decorrentes de tais multas devem ser destinados ao Ministério da Educação e da Ciência e Tecnologia. Para Bolsonaro, a ação se daria "com a participação muito ativa da senhora Raquel Dodge".

    Mais Notícias