Topo

Menino de 12 anos é mordido por tubarão em Fernando de Noronha; veja vídeo

do UOL

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

2019-05-23T11:21:40

23/05/2019 11h21

Um garoto de 12 anos foi mordido por um tubarão-limão (negaprion brevirostris) durante uma pescaria com anzol em Fernando de Noronha (PE). O menino teve o dedo do pé cortado, levou dois pontos e passa bem. O vídeo que mostra o momento da mordida viralizou nos últimos dias nas redes sociais.

O incidente ocorreu na praia do Porto em 4 de maio. O garoto pescou o filhote de tubarão usando uma linha e um anzol e o retirou da água. A família afirma que o tubarão mordeu o pé do adolescente quando ele foi soltar o anzol preso na boca do animal para devolvê-lo ao mar.

O tubarão só soltou o pé do garoto depois que duas pessoas seguraram parte da cabeça do animal com uma ferramenta e abriram a boca do peixe com uma faca. Um biólogo ouvido pelo UOL disse que o animal não atacou o menino, agindo apenas em um ato de defesa.

O incidente foi filmado por um dos familiares do menino. Nas imagens, o menino relata que precisa retirar o anzol da boca do tubarão, que aparece se debatendo no chão, para soltá-lo no mar. Em seguida, o garoto toca na cauda do tubarão e o peixe vira mordendo o pé do menino. Ele grita dizendo que "está doendo muito" e duas pessoas ajudam a retirar os dedos do pé dele de dentro da boca do tubarão.

A mãe do garoto, Glayce Kelly Ribeiro, contou ao UOL que o tubarão foi devolvido ao mar e o filho foi levado ao hospital São Lucas, onde recebeu dois pontos no dedo e liberado. O corte não infeccionou e já está fechado.

Arquivo pessoal
Garoto mostra dedo ferido após ser mordido por tubarão em Fernando de Noronha (PE) Imagem: Arquivo pessoal
"O meu filho está bem e não está traumatizado. Tanto que ele já voltou a pescar. É o que ama fazer, pescar com o pai. Essa mordida não afetou nada na vida dele. Está indo à escola, pescando, tudo fluindo normalmente", relata Ribeiro, destacando que a educação do filho é baseada no respeito à natureza e aos animais.

A família do adolescente reforça que em nenhum momento o animal sofreu maus-tratos e que o menino adora pescar, quando não está na escola. "Ele ama a natureza e aprendeu com o pai que tem de respeitar todos os animais. É um menino bom, carinhoso. Sorte eu tenho de ser a mãe dele", afirma Glayce.

O garoto mora em Fernando de Noronha desde recém-nascido. A família dele conta que ficou assustada com a repercussão do ocorrido com o vídeo divulgado nas redes sociais. Segundo a mãe dele, o vídeo estava somente com a família e começou a ganhar repercussão há três dias.

"Fiquei muito triste em ver o vídeo exposto nas redes sociais e as pessoas comentando maldades. Assim que eu vi o vídeo, eu chorei vendo meu filho naquela situação, gritando por mim. Vê isso que aconteceu com ele foi difícil e imagina vê todo mundo publicando e comentando, não foi fácil", diz Ribeiro.

Cuidado ao pescar tubarão

O biólogo Cláudio Sampaio, professor dos cursos de biologia e engenharia de pesca e coordenador do LIC (Laboratório de Ictiologia e Conservação), do campus Penedo da Ufal (Universidade Federal de Alagoas), analisou as imagens de vídeo da pesca do tubarão-limão e afirma que não houve ataque. Ele destaca que a espécie é dócil, mas reage quando se sente ameaçado.

"Não foi ataque! O filhote de tubarão estava tentando escapar, voltar para a água. É uma espécie super dócil, mas quando ameaçada, como qualquer ser vivo, defende-se", explica Sampaio.

Cláudio Sampaio/LIC/UFAL
Foto ilustrativa de espécie de tubarão que mordeu menino em Fernando de Noronha Imagem: Cláudio Sampaio/LIC/UFAL
A ilha de Fernando de Noronha é um conhecido berçário dos tubarões-limão, segundo explica o biólogo. Ela é uma espécie ameaçada de extinção e tem classificação "vulnerável" no Brasil. Devido ao risco de extinção, a captura é proibida e também é considerada crime ambiental.

"O fato de demorar para atingir a maturidade sexual e gerar poucos filhotes por gestação, associada a pesca, poluição e degradação dos habitats fazem dele uma espécie protegida por leis federais", destaca o biólogo.

O biólogo recomenda a pescadores que ao fisgar um tubarão, o animal tenha o anzol retirado ainda dentro da água. Ele alega que o menino poderia ter agido de outra forma, mas que o fato ocorrido foi um acidente. "Antes de embarcar o peixe, é possível liberá-lo do anzol. O menino foi displicente, mas acidentes acontecem", explica Sampaio.

Histórico

Esta não foi a primeira vez que um tubarão mordeu uma pessoa em Fernando de Noronha. Em fevereiro deste ano, o surfista Vinicius Cavalcanti, 31, teve o rosto mordido por um tubarão enquanto surfava na praia da Cacimba do Padre. Ele levou 33 pontos na cabeça e rosto.

Em 2017, uma turista pegou um filhote de tubarão com a mão em uma praia de Fernando de Noronha e o animal reagiu com uma mordida.

Turista tenta pegar tubarão com a mão e é mordida

NE10

Mais Notícias