Topo

Bolsonaro diz que conversa com Moro para acabar com radar móvel em rodovias

Newton Menezes/Futura Press/Folhapress
Radares em São Paulo Imagem: Newton Menezes/Futura Press/Folhapress

Julia Lindner

Em Brasília (DF)

2019-05-23T22:24:52

23/05/2019 22h24

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira, 23, que quer acabar com os radares móveis em rodovias. Ele considera que o modelo de fiscalização é "uma armadilha para pegar motoristas".

Bolsonaro contou que está discutindo o assunto com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, responsável pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

"Estou agora conversando com o Sérgio Moro, porque a PRF está a comando dele... Nós queremos acabar com os radares móveis também, que é uma armadilha para pegar os motoristas", disse. O presidente falou com a imprensa em Cascavel (PR), cidade que seria usada como ponto de parada antes de o presidente seguir para a cidade de Capanema (PR), onde ocorre a cerimônia de inauguração da usina hidrelétrica de Baixo Iguaçu. Bolsonaro e sua equipe não conseguiram seguir viagem por causa do mau tempo na região e, por isso, o retorno a Brasília foi antecipado.

Além de acabar com os radares móveis, ele também voltou a falar sobre a ideia de não renovar contratos de radares de velocidade em rodovias. "Tomei a decisão, entrei em contato com ministro Tarcísio (de Freitas), que é da Infraestrutura. O que está acertado com ele é que todo e qualquer radar ou pardal, uma vez vencendo o seu prazo, nós não revalidaremos isso daí", afirmou.

Para Bolsonaro, o anúncio sobre os pardais contribuiu para reduzir acidentes de trânsito no último feriado de Páscoa. "Você tem que estar preocupado com a sinuosidade da estrada, e não se tem um pardal escondido atrás da árvore."

Bolsonaro também falou que deve se encontrar na semana que vem com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para acertar qual a melhor forma de encaminhar mudanças no Código de Trânsito ao Congresso, o que inclui aumento do número de pontos para perder carteira e validade da CNH.

Ele disse que a ideia é passar o limite de 20 pontos na carteira de motorista decorrentes de infrações no trânsito para 40, mas que o "ideal" seria 60. Pela legislação atual, o condutor pode perder a carteira se acumular 20 pontos ou mais ao longo de 12 meses, conforme o peso das infrações.

"Devo, na semana que vem... Depende do presidente da Câmara, conversando com ele, se será projeto de lei ou medida provisória, mexer no Código Nacional de Trânsito, onde a gente passa para 40 o número de pontos, o ideal é passar para 60, mas teria dificuldade, e também a validade da carteira de motorista de cinco para 10 anos."

Mais Notícias