Topo

PM afasta suspeitos de agredir homem com voadora em São Paulo

do UOL

Leonardo Martins

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2019-05-21T13:39:30

2019-05-21T21:46:32

21/05/2019 13h39Atualizada em 21/05/2019 21h46

Policiais militares do estado de São Paulo foram afastados dos serviços de ronda nas ruas suspeitos de agredirem civis no último sábado (18) ao atenderem uma reclamação de som alto em uma casa na Brasilândia, bairro da zona norte de São Paulo. Um vídeo do momento mostra um dos policiais afastados dando uma voadora em um rapaz que seria filho do dono da residência.

Procurada, a SSP (Secretaria da Segurança Pública) não divulgou a identidade e nem quantificou quantos policiais militares foram afastados. O PM afastado fica fora do serviço nas ruas e cumpre apenas trabalhos administrativos.

Uma testemunha disse ao UOL que a polícia foi até a casa de seu familiar solicitar que o volume do som fosse diminuído após uma reclamação de uma vizinha por volta das 11h. Os nomes foram preservados a pedido da testemunha, que teme represálias.

Mesmo o homem tendo desligado o som, ainda segundo a testemunha, os policiais pediram seus documentos e solicitaram a entrada no imóvel para vistoria. O dono da residência não teria dado seus documentos e nem permitido a entrada da PM por eles estarem sem um mandado judicial. Assim, teria dado início à confusão.

Segundo a SSP, o procedimento de perturbação do sossego era padrão e alegou que houve resistência de quem foi interpelado. "Houve resistência e início de confusão, sendo o homem encaminhado ao 72º DP, onde foi registrado um termo circunstanciado por desobediência, resistência, recusa de dados sobre própria identidade, lesão corporal e desacato", disse a instituição em nota.

Ainda de acordo com o relato da testemunha, policiais militares agrediram com empurrões e socos o dono da casa e seu pai, que seria idoso. Com a chegada do reforço da Rocam (Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas), diz a testemunha, foi que um dos PMs deu uma voadora no dono da residência e, em seguida, em seu filho, que é o rapaz que aparece no vídeo sendo agredido.

A testemunha relata que o rapaz agredido seria menor de idade e gritava com os policiais para pararem de bater em seu pai. A SSP e a Polícia Militar não se manifestaram sobre as denúncias feitas pela testemunha.

Um outro vídeo da ocorrência mostra moradores tendo que desviar de uma viatura da PM que dava ré em alta velocidade na rua durante a confusão.

O delegado que investiga a ocorrência solicitou exame de corpo de delito nos envolvidos e encaminhou o caso ao Jecrim (Juizado Especial Criminal). A PM instaurou inquérito para apurar a conduta dos policiais.

Errata: o texto foi atualizado
Os PMs realocados não desempenham atividades em delegacias - função da polícia civil, como havia sido informado no texto.
A matéria errou ao informar o significado da sigla Rocam. A sigla Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas, e não Rondas Ostensivas com Apoio de Motos. A informação foi corrigida.

Mais Notícias