Topo

Chanceler diz que Venezuela quer diálogo e não guerra com EUA

5.mai.2019 - Ministro de Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza durante conferência de imprensa em Moscou - Kirill Kudryavtsev/AFP
5.mai.2019 - Ministro de Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza durante conferência de imprensa em Moscou Imagem: Kirill Kudryavtsev/AFP

21/05/2019 20h05

A Venezuela quer o diálogo com os Estados Unidos e não a guerra em seu território, declarou nesta terça-feira em Havana o chanceler Jorge Arreaza, cujo governo está na mira da administração de Donald Trump.

"Não é uma guerra o que queremos na Venezuela. Podemos estar nos preparando porque nos obrigam a estas circunstâncias (...), mas queremos a paz", disse Arreaza, que participa em Cuba do Conselho Político da Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América (ALBA-TCP)

"Oxalá a partir da ALBA consigam transmitir ao governo dos Estados Unidos que queremos o diálogo, que queremos diplomacia, que queremos entendimento, inclusive com eles, apesar de todas as divergências".

"De Havana fazemos um apelo aos Estados Unidos para o diálogo, o entendimento e o respeito mútuo para que cesse a ameaça militar, a soberba, o bloqueio contra o povo da Venezuela", destacou Arreaza.

Trump quer a saída de Nicolás Maduro do poder na Venezuela, alegando que foi eleito em votação ilegítima e viola os direitos humanos da população.

Estados Unidos e outros cinquenta países reconhecem o líder opositor Juan Guaidó como o presidente interino da Venezuela.

Mais Notícias