Topo

Policial mata ex-namorada e se suicida na Secretaria de Educação do DF

Reprodução/Facebook
Sérgio Murilo dos Santos matou a ex-namorada e depois de matou em Brasília Imagem: Reprodução/Facebook
do UOL

Jéssica Nascimento

Colaboração para o UOL, em Brasília

2019-05-20T20:09:11

20/05/2019 20h09

Um policial civil matou a ex-namorada com um tiro e depois tirou a própria vida na manhã de hoje, na Asa Norte, área central de Brasília.

O crime ocorreu dentro do trabalho da servidora pública Débora Tereza Correia, 43, em prédio da Secretaria de Educação do Distrito Federal. Sérgio Murilo dos Santos, 51, já havia sido condenado em novembro do ano passado pela Lei da Maria da Penha.

De acordo com o boletim de ocorrência, por volta de 10h o agente se identificou na portaria, entrou no prédio e foi até a sala de Débora, no terceiro andar. Os dois discutiram e Santos deu um tiro no rosto da vítima, que morreu na hora. Depois, ele se matou com um disparo na boca.

Segundo o delegado Laércio Rosetto, responsável pela investigação, a mulher já havia registrado duas ocorrências contra Sérgio e tinha uma medida protetiva contra ele.

O policial da 13ª DP de Sobradinho tinha passagens por ameaça e perturbação da tranquilidade, e respondia a um processo por violência doméstica e familiar. Ele já havia ficado detido por 18 dias em 2018 depois de ser condenado pela Lei Maria da Penha, mas a sentença foi revogada.

Em nota, a Secretaria de Educação do Distrito Federal, onde Débora trabalhava desde 2001, disse que lamenta profundamente a morte da servidora. "Neste momento de dor, a SEEDF se solidariza com a família, os amigos e os colegas da servidora. A pasta está à disposição para contribuir na investigação do caso", disse o texto.

Também em nota, a Polícia Civil também afirmou que tratará do crime. "As circunstâncias estão sendo apuradas e, posteriormente, traremos mais detalhes", informou.

A investigação ficará a cargo da Corregedoria Geral de Polícia (CGP).

Mais Notícias