Topo

Míssil atinge Zona Verde de Bagdá, mas não deixa vítimas

2019-05-19T16:48:00

19/05/2019 16h48

Bagdá, 19 mai (EFE).- Um míssil do tipo katyusha caiu sem causar vítimas neste domingo na Zona Verde de Bagdá, bairro onde ficam os principais edifícios do governo do Iraque e as embaixadas, inclusive a dos Estados Unidos, que ordenou a retirada de alguns funcionários na quarta-feira passada.

O Ministério da Defesa iraquiano informou em comunicado divulgado pela televisão estatal que o míssil foi disparado da região de Ghadir, uma área de maioria xiita no leste da capital iraquiana, e que impactou um lugar vazio na Zona Verde.

Os alarmes de segurança foram acionados e continuaram a soar por alguns minutos depois da explosão, que pôde ser ouvida em várias partes do centro de Bagdá, segundo constatou a Agência Efe.

A Zona Verde é a parte central de Bagdá, uma área fortificada desde 2003 e que, pela primeira vez, foi reaberta ao público em dezembro do ano passado.

Na quarta-feira passada, alegando motivos de segurança, os EUA ordenaram a evacuação de funcionários não essenciais da embaixada no Iraque, que fica na Zona Verde, e do consulado em Erbil, capital da região do Curdistão (norte).

Com base nas ameaças à segurança, os governos de Alemanha e Holanda decidiram então suspender as tarefas de capacitação de tropas iraquianas e curdas realizadas por seus soldados no país.

A Exxon Mobil evacuou entre ontem e hoje todos os funcionários estrangeiros do campo de petróleo de Qurna 1, na província iraquiana de Basra, no sul do país.

Em setembro do ano passado, os Estados Unidos fecharam o consulado em Basra depois de disparos ocorridos nas imediações do edifício. Na época, Washington culpou as milícias apoiadas pelo Irã.

O Ministério das Relações Exteriores do Bahrein pediu neste domingo para que os seus cidadãos deixem tanto o Iraque como o Irã "imediatamente" por questões de segurança.

A tensão na região começou a subir no fim de semana passado, após Arábia Saudita e Emirados Árabes denunciarem a suposta sabotagem de vários navios em águas do Golfo Pérsico.

Na última semana, os EUA enviaram para águas do Golfo o porta-aviões USS Abraham Lincoln, o navio de assalto anfíbio USS Arlington, baterias de mísseis Patriot e bombardeiros, após denunciar que tinha detectado "indícios" de planos ofensivos do Irã contra as suas forças e interesses no Oriente Médio.

O Iraque é parceiro político e comercial de destaque do Irã e já afirmou anteriormente que não mudaria a relação com o país, cujo governo apoia o iraquiano, influenciado por grupos xiitas, o ramo do islã predominante entre os iranianos. EFE

Mais Notícias