Topo

Militares matam imigrante em Malta

2019-05-18T13:24:00

18/05/2019 13h24

Valetta, 18 Mai 2019 (AFP) - Dois soldados malteses "mataram a sangue frio" um imigrante marfinense, afirmou neste sábado o primeiro-ministro Joseph Muscat, que anunciou a prisão dos dois suspeitos.

"Eu gostaria de agradecer a Polícia de Malta por ter resolvido este importante caso de assassinato a sangue frio de um imigrante da Costa do Marfim", escreveu no Twitter, publicando fotografias da vítima e da estrada manchada de sangue, onde ocorreu o crime no início de abril.

"Os dois detidos não representam a ética das forças armadas maltesas, que fazem um trabalho muito importante para a nossa sociedade", acrescentou.

O líder do governo maltês disse que uma investigação interna está sendo conduzida para determinar se os culpados agiram "individualmente ou se fazem parte de algo maior".

"As palavras de ódio e de divisão não têm lugar na nossa sociedade", insistiu, denunciando todos aqueles que "espalham mensagens de ódio".

De acordo com o jornal Times of Malta, os supostos autores do crime, ocorrido em 6 de abril, foram presos na sexta-feira e neste sábado. Fontes próximas à investigação, citadas pelo jornal, dizem que um dos supostos autores do crime admitiu que seu alvo eram os imigrante "porque são negros".

Lassan Cissé, que trabalhava em uma fábrica, foi baleado em uma estrada por pessoas em um carro. Dois outros imigrantes, um guineense de 27 anos e um gambiano de 28 anos, ficaram feridos neste ataque, segundo o jornal.

Várias fontes acreditam que os dois detidos podem estar envolvidos em outro ataque em uma estrada também contra imigrantes, em que um adolescente ficou ferido.

cm/ob/jpc/bc/age/mr

Mais Notícias