Topo

Sob pressão, Tesla promete robotáxis autônomos para o próximo ano

Kim Hong-Ji/Reuters
Imagem: Kim Hong-Ji/Reuters

Alexandria Sage e Vibhuti Sharma

Em São Francisco (EUA)

2019-04-22T16:56:09

22/04/2019 16h56

O presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, disse que os robotáxis autônomos estarão disponíveis em alguns mercados no ano que vem, graças a melhorias exponenciais na tecnologia. O empresário é pressionado por algumas promessas não cumpridas como a previsão de que em 2018 "você sairia com o carro da garagem sem tocar em nada".

"Provavelmente daqui a dois anos faremos um carro sem volantes ou pedais", previu Musk, reconhecendo que muitas vezes ele não cumpriu os prazos.

Musk também revelou hoje um microchip para veículos autônomos que a companhia de carros elétricos espera dar à Tesla uma vantagem sobre os rivais e convencer os investidores de que o investimento maciço em direção autônoma valerá a pena.

A apresentação acontece dois dias antes de a Tesla anunciar um prejuízo trimestral em menos entregas do sedã Model 3, que representa a tentativa da Tesla de se tornar uma montadora de carros.

Montadoras globais, grandes empresas de tecnologia e uma série de startups estão também desenvolvendo autônomos - incluindo Waymo, Uber e Alphabet (Google) -, mas especialistas dizem que levarão anos até que os sistemas estejam prontos.

Musk e as promessas

"A mensagem fundamental que os consumidores deveriam estar adotando hoje: é insano financeiramente comprar algo diferente de um Tesla. É como comprar um cavalo", dizendo que a Tesla era a única empresa a ter um conjunto completo de hardware autônomo.

Todos os Teslas que estão sendo produzidos hoje têm o novo chip e a empresa está na metade do processo de design do chip de próxima geração, que seria cerca de três vezes melhor do que o sistema atual, disse Musk.

A Tesla está trabalhando no chip desde 2016 e Musk previu anteriormente que os carros seriam totalmente autônomos até 2018, uma meta que a Tesla não cumpriu.

Os investidores pareciam indiferentes ao chip, mas as ações subiram ligeiramente após o anúncio da robotáxi.

Mais de US$ 1 bilhão em investimentos corporativos e privados foram investidos em cerca de 50 startups de empresas nos últimos três anos, incluindo um recorde de US$ 420 milhões em 2018, de acordo com uma análise da Reuters dos dados de investimento disponíveis publicamente em março.

Preocupações com segurança

Musk tem sido o centro da maioria das apresentações da Tesla, mas na segunda-feira ele cedeu os holofotes a seus principais executivos de hardware e software.

"Daqui a um ano, teremos mais de um milhão de carros com autonomia total, software, tudo", previu ele. Ele disse que é improvável, mas é verdade, que a Tesla projetou o melhor chip autônomo do setor, dizendo que a Tesla é dedicada à direção autônoma, enquanto outros, como a Nvidia, desenvolveram chips que também poderiam fazer outras coisas.

O chip da Tesla era capaz de produzir sete vezes mais frames que o sistema Xavier da Nvidia, disse Pete Bannon, chefe de hardware do Autopilot da Tesla.

A Tesla esteve envolvida em alguns acidentes, alguns deles fatais, envolvendo o uso do sistema AutoPilot da empresa, lançado pela primeira vez em 2015.

A empresa também vende uma "opção autônoma completa" por um adicional de US$ 5 mil, como capacidade de estacionar e convocar um carro estacionado. Possivelmente, ainda em 2019, segundo a empresa, estará disponível a capacidade de reconhecer semáforos e sinais de parada e realizar a condução automática nas ruas da cidade.

Mas o uso de Tesla do termo "auto-condução completa" ainda recebe críticas, como a opção ainda não é "Nível 4", ou totalmente autônoma pelos padrões da indústria, em que o carro pode lidar com todos os aspectos da condução na maioria das circunstâncias sem intervenção humana.

Mais Notícias