Topo

Gostou, comprou: Instagram entra no comércio eletrônico com novo recurso

Getty Images
App lançou novidade em fase de testes Imagem: Getty Images

Sarah Frier

Da Bloomberg

2019-03-19T19:44:39

19/03/2019 19h44

Resumo da notícia

  • Serviço Checkout foi lançado em fase de testes nesta terça-feira
  • Grupo seleto de empresas de varejo participará dos testes
  • Novidade vem em paralelo à desaceleração da publicidade no feed de notícias do Facebook

Após anos admirando belas imagens de gastronomia, moda e design no Instagram, os usuários agora poderão comprar os produtos que virem e gostarem diretamente no aplicativo - o que oferecerá gratificação instantânea para os obcecados por tendências e uma nova fonte de renda para a empresa controladora, o Facebook.

A partir de terça-feira, o aplicativo de compartilhamento de fotos testará um recurso de compras chamado Checkout com algumas empresas de varejo, como a Nike e a plataforma de design de moda Revolve.

"Com o tempo, como estamos criando valor para as pessoas, isso pode se transformar em parte significativa do nosso negócio", disse Vishal Shah, chefe de produto do Instagram.

No Checkout, as pessoas poderão comprar diretamente dentro do Instagram em vez de serem direcionadas para o website de uma empresa de varejo. É pouco provável que o Instagram divulgue mais detalhes financeiros neste ano, mas Shah afirmou que esta é a próxima grande oportunidade do modelo de negócio depois dos anúncios.

O Facebook tentou diversas vezes criar negócios de comércio eletrônico, com resultados variados. No Instagram, a transição ocorre mais naturalmente porque as pessoas tendem a seguir marcas e influenciadores em busca de inspirações para estilo de vida sobre moda, design, gastronomia e viagens. Algumas pessoas com números elevados de seguidores no Instagram conseguiram lançar produtos, desde mercadorias para animais de estimação famosos até linhas de maquiagem para beauty artists conhecidos.

Eu zapo, tu zapas: como a vida mudou em 10 anos de WhatsApp

Leia mais

Com a desaceleração do crescimento das publicidades no feed de notícias do Facebook, a empresa está à procura de novas linhas de negócios e passará a ser mais dependente de suas outras propriedades, como o Instagram, o Messenger e o WhatsApp. O Instagram acredita que as compras serão um negócio significativo porque o aplicativo já conta com um recurso para que as pessoas vejam quais produtos estão em uma foto e para salvar e compartilhar itens. Ele é usado por 130 milhões de pessoas por mês, segundo a empresa.

Os compradores poderão pagar com Visa, Mastercard, Discover e PayPal, informou o Instagram. Quando o recurso for expandido, as empresas poderão fechar a compra diretamente ou trabalhar com parceiros como o Shopify.

Mais Notícias