Topo

JAC iEV 40 é 1º carro elétrico chinês à venda no Brasil; veja como anda

do UOL

Eugênio Augusto Brito

Do UOL, em São Paulo (SP)

2019-03-15T07:00:00

15/03/2019 07h00

Resumo da notícia

  • Crossover chinês custa R$ 140 mil
  • Modelo está nas principais lojas da JAC
  • Entrega segue fila global: leva 6 meses
  • Modelo é forte como um Chevrolet Tracker
  • Potência, porém, é de Nissan Kicks
  • Autonomia de 300 km permite viagens curtas

A JAC Motors Brasil esnobou o Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro. No evento, três elétricos foram colocados em pré-venda: Renault Zoe (R$ 149.990), Nissan Leaf (R$ 178.400) e Chevrolet Bolt (R$ 174.990). Outros foram apenas anunciados, sem data de chegada ou valor.

Há o "veterano" BMW i3, vendido no Brasil há algum tempo, sempre sob encomenda, com o modelo mais recente custando R$ 199.950.

No fim das contas, a marca chinesa é quem primeiro coloca um carro em condições de venda dentre os modelos da nova leva: o crossover iEV40, derivado 100% elétrico do T40, custa R$ 140 mil e já pode ser visto e comprado nas principais lojas da marca. Sim, o total de concessionárias foi reduzido ao extremo por conta das crises (econômica e do próprio grupo controlador da JAC no Brasil), mas isso é válido pelo menos em cidades como São Paulo, Rio e Curitiba.

A entrega, porém, demora um tanto: o JAC iEV40 é o sétimo carro elétrico mais vendido do mundo. Tem uma demanda alta, sendo inclusive "embalado" com outro nome -- ele usa, por exemplo, a marca Sol, numa associação entre Volkswagen e JAC. Mas a linha de produção é uma só, na China, e serve primeiro ao mercado local, depois ao resto do mundo. Assim, a entrega pode levar seis meses, num cenário tranquilo, segundo o próprio presidente da marca no país, Sergio Habib.

Embora existam unidades em teste e até exposição nessas lojas "especiais", as primeiras unidades já encomendadas por consumidores devem desembarcar no Brasil em junho. Quem pedir um hoje, porém, só deve colocá-lo na garagem lá para setembro ou outubro. Vale? UOL Carros experimentou um dos carros, ainda adesivado para exibição, e mostra um pouco do que "aprendeu"a bordo do modelo.

JAC elétrico é bem tecnológico

Nossa primeira impressão é positiva. O iEV 40 é o modelo mais bem resolvido e acabado do portfólio da JAC. E isso é ótimo, já que falamos de um carro que custa mais que a versão intermediária do Jeep Compass, um dos queridinhos do mercado. O painel de instrumentos tem três telas digitais, duas delas coloridas e com informações sobre a saúde da bateria.

No console central, uma tela colorida e sensível ao toque abriga um sistema baseado em Android, que exibe o sistema multimídia e também o controle do sistema elétrico desse JAC: qual o fluxo de carga, qual a autonomia, quanto você já consumiu, quanto o ar-condicionado "come" de sua carga total.

Esse console central tem bom acabamento e até áreas suaves ao toque e com costura pespontada. Os bancos são de couro. O freio de estacionamento é elétrico. Há sistema de câmera 360 graus, extremamente útil em manobras. O ar é digital (embora no nosso caso isso não estivesse funcionando da melhor forma, assim como o rádio -- coisas de carro de teste com "placa verde").

O primeiro modelo elétrico importado pela JAC para o Brasil tem ainda itens de conforto e segurança como bancos revestidos em couro, alerta sonoro para pedestres (uma vez que o motor elétrico não tem ronco), controles de tração, estabilidade e assistente de partida em rampas, bem como monitoramento da pressão dos pneus. Estes são do tipo "run flat" (resistem a alguns tipos de furos por quilometragem pré-definida, vindo com kit de reparos sob o porta-malas).

Ainda segundo Habib, o iEV40 estreia um sistema de telemetria, inspirado em modelos de Volvo, BMW. Se o cliente permitir (assinando os termos), o elétrico é monitorado pela JAC 24 horas por dia. Nos mínimos detalhes. O sistema indica rotas, velocidades, gastos de componentes e, claro, carga utilizada. Com isso, uma central on-line pode acompanhar e antecipar casos como falhas de peças (indicando o momento de ir à concessionária). E também pode servir como "anjo da guarda" do motorista, indicando se a carga será suficiente para chegar ao destino traçado, por exemplo -- se não for, pontos de recarga serão indicados (ou socorro acionado).

Claro, o motorista de um carro elétrico precisa mudar seu modo de condução e aprender a: dosar o pé; planejar o roteiro diário.

Mas claro que ter essa tecnologia à disposição é algo muito interessante.

Como o JAC iEV40 anda?

Fato é que, movido por um motor elétrico de 115 cv e torque máximo de 27,5 kgfm disponíveis instantaneamente, esse elétrico precisa só de 11 segundos para acelerar de 0 a 100 km/h. Traduzindo, ele tem saída de um SUV de quase 1.500 quilos movido por motor 1.6 turbo. Sabe o Chevrolet Tracker? É quase esse aquele comportamento.

Mas por não ser muito potente, acaba não tendo aquela elasticidade. Nesse ponto, fica bem próximo ao Nissan Kicks. Vai bem na cidade, vai bem na estrada, mas sem arroubos.

De todo modo, o carro é relativamente espaçoso (quatro adultos vão na boa) e tem porta-malas para 450 litros, como o T40 do qual deriva. As baterias ficam no assoalho, sob o banco, sem roubar espaço de nada.

"Te garanto: na saída você acelera mais que o BMW X1, ali no 0 a 60 km/h. Depois disso o BMW ganha, claro, mas é uma saída excelente", resume Sergio Habib.A autonomia é estimada em até 300 km. Mas usar demais o ar-condicionado ou "escalar" muitas ladeiras vai mudar isso.

O iEV 40 sai de fábrica também com um sistema de frenagem regenerativa e sistema 'Eco", que "dispensam" o uso do pedal de freio: ele existe e deve ser usado quando necessário. Mas, em velocidades menores, basta tirar o pé do acelerador para a velocidade do carro cair, chegando quase à parada total, com regeneração de energia no processo.

Elétrico plugável, o iEV 40 pode ser recarregado em qualquer tomada 220V, mas vai levar 8 horas. Com carregador rápido (opcional) e, um conector 400V (carregadores rápidos de postos e shoppings, por exemplo), 80% da bateria pode ser recarregada em apenas 1 hora. A JAC garante que uma carga completa custa, em média, em São Paulo, R$ 15. Mas que o momento é para "aproveitar que restaurantes, postos e estabelecimentos praticamente não cobram pelo serviço", uma vez que elétricos quase não existem no Brasil.

Pós-venda mais fácil, mas carro para poucos

É um carro para você? O próprio Habib é sincero: "Se você viaja demais, se gosta de andar forte, se quer subir e descer para o litoral, se não mora nos grandes centros, se gosta de ir para a fazenda sempre, não vou vender esse carro para você, tenho outras opções".

De fato, além de caro (mesmo sendo o elétrico mais barato do Brasil agora), acaba sendo um modelo urbano, com folga para pequenas escapadas, se você estiver em Estados mais centrais (SP, Rio e Paraná, além da região metropolitana de algumas capitais do Nordeste, que á contam com postos de recarga).

"É um carro de luxo, praticamente, para quem já tem um ou dois carros e quer mostrar seu lado mais ecológico e antenado", afirma Habib.

De toda forma, o executivo aponta uma vantagem de seu iEV40 sobre os rivais: "Mesmo com estilo e desempenho 'plain vanilla' [sorvete de baunilha, comum], que é igual ao nosso carro convencional [o T40], por outro lado acaba sendo vantajoso frente aos "Ben and Jerry's" [referência a sorvete de grife]. Nossas peças terão o mesmo preço e mesma disponibilidade do T40".

"O pneu de um [BMW] i3 custa R$ 3 mil. Agora compara um para-brisa do [Nissan] Leaf, se você encontrar um fácil, quando o carro estiver à venda. O meu pneu é barato e meu para-brisa custa o que custa o de um [Renault] Sandero.

Será o bastante para vender bem? Será o bastante para você apostar em um? A JAC acredita que terá fôlego para vender bem, embora sem estipular números -- nas entrelinhas, quando mais modelos estiverem disponíveis, há uma expectativa para fazer até um terço das entregas atuais só com modelos elétricos. Mas isso acaba sendo papo para o futuro.

Aliás, para saber mais sobre os planos de Habib para elétricos e para toda a JAC, fique ligado na super-entrevista que UOL Carros publicará em breve.

FICHA TÉCNICA

JAC iEV40
Preço: R$ 139.990
Motor: elétrico
Potência: 115 cv
Torque: 27,5 kgfm
0-100 km/h: 11 s
Autonomia: aproximadamente 300 km (NEDC)
Tempo de carga: 8 horas (220V), 1 hora (80%, 400V)
Custo da carga: R$ 15
Dimensões: 4,13 m de comprimento, 2,49 m de entre-eixos
Porta-malas: 450 litros
Segurança: 2 airbags, controles de estabilidade e tração, Hill Holder, monitor de pressão dos pneus, câmera 360º, alerta para pedesters e telemetria

(Agradecimento/recarga: Space Brsil Co-working (Pinheiros, São Paulo/SP)

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros.

Mais Notícias