PUBLICIDADE
Topo

Passou da hora! 5 jogos online que deveriam se tornar gratuitos

Overwatch - Reprodução/Nvidia
Overwatch
Imagem: Reprodução/Nvidia
do UOL

Do GameHall

07/03/2019 04h00

Há alguns jogos focados no multiplayer que poderiam se beneficiar e muito, caso suas produtoras decidissem torná-los títulos gratuitos para se jogar. Seja porque não atraem mais tanto a atenção de jogadores como faziam na época em que foram lançados ou então porque nunca chegaram a fazer isso.

Existem muitos jogos online de qualidade que você não precisa pagar nada para jogar e nem por isso eles deixam de dar lucro aos seus criadores. O maior exemplo atual disso é "Fortnite", mas também há outros como o recente "Apex Legends", o fenômeno "League of Legends" ou então "Path of Exile", o melhor clone de "Diablo" feito até hoje.

A lista abaixo apresenta nomes de títulos conhecidos que talvez ganhem uma vida nova se em algum momento puderem ser jogados de graça.

  • Fallout 76

Fallout 76 - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Este jogo é um dos maiores fiascos lançados nos últimos anos. Aposta da Bethesda que não deu certo e acabou manchando a bela trajetória da franquia "Fallout".

Uma maneira de, quem sabe, a produtora conseguir remediar a insustentável situação do jogo, que já está sendo dado de graça por algumas lojas já que ninguém quer comprá-lo, é justamente torná-lo definitivamente gratuito e ao mesmo tempo dar algum tipo de compensação para quem pagou por ele. Isso poderia marcar o início de uma nova trajetória para o game.

  • Overwatch

Overwatch - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

A Blizzard precisa entender que cortar o preço do game para R$ 69 não resolverá os problemas que ele tem, muito menos aumentará significativamente a sua base instalada, já que atualmente existem opções mais atraentes que podem ser jogadas de graça.

Aproveite que a Liga Overwatch voltou ao topo do cenário eSports e ofereça uma versão gratuita do jogo para as pessoas poderem usufruir. Ao mesmo tempo, use a oportunidade para implementar jogabilidade cross-play e melhorar aspectos como placares de líderes e filas de espera.

  • Artifact

Artifact - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

A Valve estava esperançosa com seu jogo de cartas, pensando que ele poderia competir de igual para igual com "Hearthstone" e "Gwent", os títulos dominantes deste gênero. Infelizmente para a produtora, o game não chegou nem perto de conseguir isso.

O motivo não foi pelo fato do jogo ser ruim, mesmo porque ele é bem divertido, mas pelo modo como a Valve monetizou ele. Os jogadores têm de desembolsar R$ 76 pelo game e ainda por cima pagar por decks e até mesmo modos de jogo. Quem em sã consciência vai fazer isso se pode jogar outros jogos similares de graça?

No Steam, o game vem sendo duramente criticado pela comunidade por causa disso. Com pouquíssimas pessoas jogando atualmente, a Valve pode ressuscitar "Artifact" com a simples decisão de torná-lo gratuito.

  • Destiny

Destiny - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

O primeiro "Destiny" é um ótimo jogo e que foi ficando melhor ao longo do tempo, tanto que muitos de nós dedicamos dezenas ou até mesmo centenas de horas nele. Com o lançamento de "Destiny 2", cuja popularidade deu uma melhorada após o lançamento da última expansão, "Renegados", a Bungie poderia tentar aumentar ainda mais o interesse de novos jogadores com o game, tornando o jogo original gratuito.

Ao jogarem o primeiro game e considerarem que ele é bom, existe uma boa chance das vendas de "Destiny 2" aumentarem. Dar "Destiny" de graça também faria a Bungie, recém-divorciada da Activision, mostrar aos fãs que está dedicada em focar todos seus esforços no jogo atual.

  • PlayerUnknown's Battlegrounds

PlayerUnknown's Battlegrounds - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Não existe qualquer dúvida que uma das razões para este jogo não ter mais jogadores é porque seu maior concorrente, "Fortnite", é grátis, enquanto "PUBG" precisa ser comprado para ser jogado.

Embora "PUBG" tenha seus problemas, há uma grande quantidade de pessoas que preferem jogar ele ao invés de "Fortnite", seja pela sua jogabilidade ou visuais mais realistas.

A PUBG Corp. precisa aprender com o estrondoso sucesso que seu game alcançou em dispositivos mobile, onde por ser gratuito, superou a marca de 200 milhões de jogadores, número muitíssimo maior do que a média de 1 milhão de usuários que vem alcançado no Steam nos últimos meses.

Há potencial para "PUBG" voltar ao topo do gênero battle royale nos consoles e PC, desde que se torne grátis. O primeiro passo para isso já está sendo dado com "PUBG Lite".

Notícias