Topo

Explosão de gás atinge distrito comercial em Paris e deixa pelo menos 12 feridos

12/01/2019 10h06

PARIS (Reuters) - Uma enorme explosão provavelmente causada por um vazamento de gás destruiu o piso térreo de um prédio em um distrito comercial no centro de Paris neste sábado, ferindo gravemente pelo menos 12 pessoas, disseram autoridades.

    A polícia estava em alerta máximo na capital francesa por um nono sábado consecutivo de protestos dos "coletes amarelos", com grandes partes do centro da cidade bloqueadas pela polícia.

    Nos últimos anos, a França sofreu ataques militantes jihadistas em Paris, Nice, Marselha e além. Mas o promotor de Paris, Remi Heitz, foi rápido em descartar o pior.

    "Ainda precisamos determinar as circunstâncias e a causa da explosão, mas neste estágio podemos dizer que é claramente um acidente, presumivelmente um vazamento de gás", disse a repórteres.

    Uma fonte da polícia disse que a explosão destruiu uma padaria na rua Trevise, no distrito Grands Boulevards. A força da explosão destruiu as fachadas próximas e balançou prédios a centenas de metros de distância, disseram testemunhas.

    O comandante da brigada de incêndio, Eric Moulin, disse aos repórteres que 12 pessoas, incluindo três bombeiros, ficaram gravemente feridas. Cinco deles, incluindo dois bombeiros, tinham risco de vida, disse.

    Pelo menos mais 24 pessoas sofreram ferimentos leves, disse Moulin. Bombeiros estavam procurando no prédio por mais vítimas.

    Mais de 200 bombeiros juntaram-se à operação de resgate e dois helicópteros aterrissaram na vizinha Place de l'Opera para retirar os feridos.

    "A situação está agora sob controle", disse o ministro do Interior, Christophe Castaner, a repórteres.

    Uma testemunha ocular em um hotel próximo disse que viu um enorme incêndio surgir no prédio destruído pela explosão.

    "Havia vidros quebrados por toda parte, as fachadas das lojas foram destruídas e as janelas se quebraram até o terceiro e quarto andares", disse David Bangura, de 38 anos.

    Ele disse que ao se aproximar da cena, uma mulher estava chorando pedindo ajuda no primeiro andar de um prédio: "Ajude-nos, ajude-nos, nós temos um filho".

(Reportagem de Geert De Clercq, Caroline Paillez, Emmanuel Jarry, Simon Carraud, Lucien Libert, Christian Hartmann e Benoit Tessier)

Mais Notícias