Topo

Guardas municipais, PMs e salva-vidas se envolvem em briga em praia do Rio

do UOL

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

2019-01-11T15:13:57

11/01/2019 15h13

O fim da tarde desta quinta-feira (10) foi marcado por uma confusão entre guardas municipais, salva-vidas e policiais militares na praia do Arpoador, um dos cartões postais do Rio de Janeiro. De acordo com a Guarda Municipal (GM), a confusão começou porque agentes do Grupamento Especial de Praia (GEP) tentaram rebocar carros que estavam estacionados irregularmente em frente ao Posto 7, após denúncia feita para a Central 1746. Os veículos eram de bombeiros e policiais militares que trabalham na região e os proprietários contestaram as irregularidades. 

Houve um grande bate-boca e PMs que trabalham patrulhando a região foram chamados. Um deles chegou a sacar a arma da cintura durante o desentendimento.

Um vídeo divulgado na internet mostra uma parte da confusão entre os agentes públicos. Nas imagens, também é possível observar a presença no calçadão de um reboque da secretaria municipal de Ordem Pública. 

PMs, guardas municipais e salva-vidas foram levados para a delegacia do Leblon, onde todos foram ouvidos. "O caso foi registrado como contravenção penal de vias de fato", informou a Polícia Civil através de nota. O caso será encaminhado para o Juizado Especial Criminal e nenhum dos envolvidos no tumulto foi preso.

Procurada, a assessoria de imprensa da Guarda Municipal ressaltou que "é proibido o estacionamento no Arpoador e somente viaturas oficiais e de emergência podem parar no local. Cabe aos motoristas respeitarem o código de trânsito brasileiro e a ordem do agente de trânsito do município".

A entidade informou ainda que os veículos flagrados no local eram particulares e, por isso, precisavam ser apreendidos. Além disso, o local é de proteção ambiental. 

Já a PM informou que foi instaurado um procedimento apuratório pelo 23º BPM (Leblon) "para analisar as imagens e as circunstâncias do fato". O Corpo de Bombeiros do Rio disse que um procedimento interno será instaurado e gerenciado pela Corregedoria da corporação. "A instituição reforça que não compactua com comportamentos que fogem ao diálogo da boa convivência", explicou os Bombeiros.

Segunda versão

Apesar de a Guarda Municipal informar que a confusão começou devido ao reboque de carros particulares em local proibido, bombeiros afirmaram à reportagem que a decisão de retirar os veículos ocorreu após um guarda ser impedido de furar fila para a utilização de um banheiro do posto localizado na praia do Arpoador. Após a proibição, o guarda deu início ao processo de reboque do carro. A informação não foi confirmada pela Guarda Municipal, pelo Corpo dos Bombeiros e pela Polícia Militar.


 

Mais Notícias