Topo

Vacinas contra o HPV previnem câncer do colo do útero, afirma estudo

Getty Images/iStockphoto
Estudo afirma que vacina contra HPV ajuda a prevenir câncer do colo de útero Imagem: Getty Images/iStockphoto

Pedro Fonseca

Do BOL, em São Paulo

2018-05-09T18:52:12

09/05/2018 18h52

As vacinas contra o HPV protegem contra o câncer do colo do útero em mulheres jovens, especialmente quando as mulheres são vacinadas entre as idades de 15 e 26 anos, afirma um novo relatório da Cochrane publicado no dia 9 de maio. As informações são da CNN

Os autores do relatório, que examinaram evidências de 26 estudos publicados anteriormente com mais de 70.000 mulheres, também não encontraram nenhum risco sério de efeitos colaterais associados às vacinas.

Veja também:

O papilomavírus humano ou HPV se espalha através do contato íntimo durante o sexo com alguém que está infectado. Em algumas mulheres, uma infecção por HPV persistirá e levará ao câncer do colo do útero. 

"O câncer do colo do útero é o quarto câncer mais frequente em mulheres no mundo", disse o principal autor do estudo, Dr. Marc Arbyn, da Unidade de Epidemiologia do Câncer do Centro de Câncer da Bélgica, em Bruxelas. Mais de meio milhão de casos são diagnosticados a cada ano, e cerca de metade dessas mulheres morrerão da doença, disse ele.

Embora existam muitos tipos de HPV, apenas alguns aumentam o risco de uma mulher desenvolver câncer cervical. O HPV16 e o HPV18 são responsáveis por cerca de 70% de todos os casos de câncer do colo do útero em todo o mundo. Para a nova revisão, Arbyn e uma equipe de pesquisadores avaliaram evidências de estudo para duas vacinas de HPV comercialmente disponíveis: Cervarix, que tem como alvo apenas HPV16 e HPV18, e Gardasil, que tem como objetivo essas cepas mais dois tipos de HPV que causam verrugas genitais.

No caso das mulheres mais jovens, de 15 a 25 anos, com teste negativo para HPV antes de receber a vacina, a pesquisa mostrou que, entre as vacinadas, o risco de pré-câncer associado a HPV16 ou HPV18 foi de apenas duas mulheres para cada 10.000. Já entre as não vacinadas, o número foi de 164 para cada 10.000 mulheres. As vacinas também reduziram o risco de qualquer pré-câncer cervical (causado pelos dois tipos de HPV ou não) de 287 para 106 para cada 10.000 mulheres.

Entre as mulheres da mesma faixa etária, que testaram positivo ou negativo para o HPV, as vacinas reduziram o risco de pré-câncer cervical associado ao HPV16 ou ao HPV 18 de 341 para 157 para cada 10.000 mulheres, segundo o novo relatório. A inoculação do HPV também reduziu o risco de qualquer pré-câncer de 559 para 391 por 10.000 nesse grupo.

Em mulheres mais velhas - aquelas vacinadas entre as idades de 25 e 45 anos - os efeitos da vacina contra o HPV foram menores, estimam os autores. Entre não vacinadas versus vacinadas, o risco de pré-câncer associado ao HPV16 e HPV18 diminuiu de 145 para 107 para cada 10.000 mulheres. Provavelmente, isso se deve às mulheres terem sido previamente expostas ao HPV, disseram os autores, acrescentando que a vacina não oferece proteção contra nenhum pré-câncer cervical.

(Com informações da CNN)

Quer receber notícias de graça por mensagem no seu Facebook? Clique AQUI e digite Notícias após acessar o Messenger. É muito simples! 

Mais Notícias