Topo

Governo quer diluir em 12 meses o pagamento do abono salarial

27.nov.2014 - Novos titulares da área econômica do governo: Joaquim Levy (Fazenda), Nelson Barbosa (Planejamento) e Alexandre Tombini (Banco Central) - Pedro Ladeira/Folhapress
27.nov.2014 - Novos titulares da área econômica do governo: Joaquim Levy (Fazenda), Nelson Barbosa (Planejamento) e Alexandre Tombini (Banco Central) Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

do BOL, em São Paulo

03/02/2015 06h39

Entre as medidas para conter gastos anunciadas recentemente pela equipe econômica da presidente Dilma Rousseff, o governo conta com mais um trunfo para dar um alívio nas contas públicas: a diluição do pagamento do abono salarial de PIS em 12 meses. A medida está no novo pacote econômico. As informações são da Folha de S.Paulo.

Atualmente, o benefício é pago em contas da Caixa Econômica Federal em quatro datas, acumuladas no segundo semestre de cada ano. Com a aprovação da medida, a ideia é estender este prazo de pagamento até junho do ano seguinte.

O PIS é um direito do trabalhador que recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais no ano anterior. Para receber o dinheiro, o trabalhador deve estar cadastrado no Programa de Integração Social (PIS) ou no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) há pelo menos cinco anos e ter mantido um vínculo empregatício formal no ano anterior por pelo menos 30 dias. O valor pago pelo PIS é de um salário mínimo.

A diluição do pagamento deste benefício ao longo do ano integra o pacote de economia de R$ 18 bilhões proposto pelo governo federal.

(Com informações da Folha de S.Paulo)

Mais Notícias