Topo

Empresa espanhola lança cantora virtual que pode cantar em português

A cantora virtual MAIKA, da plataforma Vocaloid, pode cantar em inglês, japonês, francês e catalão - Noriko Hayashi/Divulgação
A cantora virtual MAIKA, da plataforma Vocaloid, pode cantar em inglês, japonês, francês e catalão Imagem: Noriko Hayashi/Divulgação

Juliana Dutra<br>do BOL, em São Paulo

13/12/2013 07h00

A empresa espanhola Voctro Labs lança ainda este ano uma cantora virtual capaz de cantar em português na plataforma Vocaloid, um programa de síntese de voz. A novidade deve ser apresentada no dia 18 de dezembro.

MAIKA, como foi batizada, é um banco de voz que dispensa a gravação de uma cantora de verdade. Segundo descrição do próprio site da empresa, basta "inserir a melodia, letras e parâmetros de expressão e você será capaz de criar vocais, acompanhamentos e efeitos".

Apesar de terem sido gravados fonemas em espanhol, MAIKA será capaz de cantar em outros idiomas, como português do Brasil, inglês, japonês, francês e catalão. Em uma demonstração, a cantora aparece cantando "Garota de Ipanema".

Oscar Mayor, um dos fundadores da empresa, explicou que a escolha dos fonemas foi baseada na comunidade de fãs brasileiros de Vocaloid, que já haviam tentado fazer os cantores virtuais da marca Bruno & Clara cantarem em português.

"É uma língua latina com uma fonética parecida com o espanhol. Gostamos do som deste idioma. Achamos uma boa ideia para tornar a MAIKA mais versátil e mais aceita na comunidade de Vocaloid", disse. A empresa buscou ajuda de fãs do site Vocaloid Brasil para construir a fonética em português da cantora.

"Esperamos que MAIKA torne o Vocaloid mais popular no Brasil, mas é claro que estamos interessados em fazer um banco de voz brasileiro no futuro", declarou Mayor.

Assista ao vídeo de divulgação da cantora virtual cantando "Garota de Ipanema":

Projeto nascido em uma universidade de Barcelona e financiado pela empresa japonesa Yamaha, Vocaloid é um programa que permite manipular vozes artificias e criar canções. As vozes são vendidas separadamente, como cantoras virtuais em uma caixa, possuindo bancos de fonemas e aparência próprios. Foi com este recurso que nasceu a popular Miku Hatsune, que ganhou o Japão e, mais tarde, teve sua marca divulgada em jogos e shows holográficos.

Cantores virtuais do Brasil

Lançado em 2008, UTAU é um programa de canto de licença livre, que permite a utilização de um banco de voz próprio. Fãs do mundo todo, inclusive do Brasil, utilizam do método para criar seus próprios cantores virtuais, capazes de cantar em diversos idiomas. A primeira lançada no Brasil, com banco de voz em japonês, foi a cantora Aline Enbukyoku, em 2009.

A partir de então, diversos fãs começaram a utilizar a ferramenta para gravar bancos nacionais de vozes para cantar seus hits favoritos. Entre essas criações, está a cantora VIIBE, mascote do maior site sobre o assunto no país.

Hoje alguns cantores virtuais brasileiros também já são capazes de cantar em português, como EDpoid, o primeiro lançado com banco de voz em português do Brasil, Leo Kyoranne, Pururu e Mainichi no Uta.

Aprenda no site Vocaloid Brasil como criar músicas com cantores virtuais

Veja abaixo algumas músicas que utilizaram bancos de voz em português:
 

Lanterna dos Afogados (Herbert Vianna - Paralamas do Sucesso)
Cantores: Mainichi no Uta, Leo Kyoranne e Pururu
Adaptação: Flavescit (Leonardo da Rosa)

Fico Assim Sem Você (Adriana Calcanhotto)
Cantor: EDpoid
Adaptação: Laudieverton

Anna Julia (Los Hermanos)
Cantor: Mainichi no Uta
Adaptação: Laudieverton

Mais Notícias