PUBLICIDADE
Topo
Listas

Listas

Veja o que 16 famosas brasileiras já declararam sobre o aborto

Montagem BOL
Imagem: Montagem BOL

do BOL

14/11/2017 10h00

A PEC do Aborto tem causado alvoroço pela possibilidade de proibir todas as formas de aborto no país, inclusive em casos de estupro ou risco de morte da gestante.
 
"A rejeição desse ato [a PEC] é uma atitude cristã", afirmou Maria José Rosado, participante do "Católicas Pelo Direito de Decidir", segundo o UOL. A reflexão levantada por ela é de que a bancada religiosa que aprovou a proposta não respeita a laicidade do Estado.
 
"Cada um manda na sua xereca. Alguém vai mandar na minha? Eu vou pedir licença? O governo não tem nada a ver com isso, nem padre, nem ninguém", já dizia Dercy Gonçalves lá em 1994, em entrevista ao Roda Viva.
 
Muitas famosas já se manifestaram favoráveis à prática, seja pela liberdade de escolha ou pela questão da saúde pública. Algumas já recorreram ao procedimento, mas não recomendam e, atualmente, até se posicionam contra. Outras não fariam, mas dão suporte a quem precisa fazer. Há ainda aquelas que consideram um crime e ponto. Confira abaixo as opiniões de famosas sobre essa questão.
 
Leia também:

  • Reprodução/Instagram @alessandranegrinioficial

    Alessandra Negrini

    "Não se trata de sermos pessoalmente contra ou a favor do aborto, a questão diz respeito ao que queremos enquanto sociedade", afirmou a atriz à revista TPM

  • Reprodução/Instagram @anitta

    Anitta

    "Olha... Eu não faria, mas acho que as pessoas têm que ser livres para fazer o que elas quiserem. Não adianta legalizar e nem proibir, você precisa informar. Você tem que ensinar os motivos das coisas. Mas isso leva tempo, dinheiro e dedicação. Então é muito fácil proibir", opinou a cantora na edição de julho da revista Women's Health

  • Reprodução/Instagram @brumarquezine

    Bruna Marquezine

    "O que eu acho que falta no mundo hoje é empatia. Tento sempre me colocar no lugar do outro. Não tive nenhum caso de aborto na minha família e nunca vivi isso [de perto]. Então não sei o que leva uma mulher, em que condições ela se encontra para desejar abortar. Para mim, filho é uma bênção. Mas quem sou eu para julgar o outro? Acho que falta respeito com a decisão do outro, com a vida do outro, o corpo do outro. Sou a favor de respeitar o próximo", disse a atriz ao UOL. "É uma questão que, para mim, é conflituosa porque sou cristã e o meu maior sonho é ser mãe. Fico pensando que eu não conseguiria. Mas o outro talvez precise. É uma questão em que fico muito dividida. E se for um estupro? Eu não sei o que eu faria. Então como vou julgar a decisão do outro? Não tenho uma resposta certa para isso", ponderou. Leia mais

  • Reprodução/Instagram @cissaguimaraes

    Cissa Guimarães

    "Sou a favor da legalização do aborto, mas também gostaria que ele fosse extinto. Quando fiz, sofri muito. Mesmo legalizado, na suíte master do [hospital] Albert Einstein, eu não recomendo a ninguém", disse a apresentadora ao jornal Folha de S.Paulo em 2010

  • Reprodução/Instagram @cleooficial

    Cleo Pires

    "Não sou a favor do aborto por dois motivos. É contra os meus valores e é muito traumatizante. Mas acho que as mulheres têm o direito e o dever de saber o que fazer com o próprio corpo. E as pessoas vão continuar fazendo aborto sem o mínimo preparo, o que é horrível", disse a atriz na edição de dezembro de 2010 da revista Marie Claire

  • Reprodução/Instagram @elbaramalho

    Elba Ramalho

    Radicalmente contra a prática, a cantora já fez um aborto no passado e desabafou sobre isso no documentário "Blood Money - Aborto Legalizado", que critica a indústria do aborto nos EUA. "O que me levou a participar do Movimento Pró-vida e me tornar uma pró-vida atuante foi a experiência na carne a na alma do aborto. Quando uma mulher passa por isso, isso deixa marcas profundas na mulher. Então, foi a minha forma de ressurgir, de me remodelar, de me reestruturar, de ganhar confiança e capacidade de produzir a vida, quando num momento da minha vida eu produzi a morte. A gente não está aqui para produzir a morte. O mundo precisa de pessoas que produzam a vida, produzam a paz, produzam o bem, o bem comum". No final de 2016, ela voltou a se pronunciar sobre o tema em entrevista à revista Época. "Qualquer mulher é mais feliz se não abortar. Existe sempre uma sequela que fica. Tem gente que toma drogas ou tenta o suicídio para esquecer. Liberar o aborto é abrir um precedente complicado: uma sociedade que investe contra a própria espécie. São crianças inocentes no ventre de uma mãe"

  • Reprodução/Instagram @gabi_mariliagabriela

    Marília Gabriela

    "Estamos diante de um fato: no Brasil as mulheres morrem por abortos malfeitos há décadas. Nós, como sociedade, pretendemos continuar cúmplices dessa mortandade?", refletiu a apresentadora durante a campanha Precisamos Falar Sobre Aborto, criada pela revista TPM

  • Reprodução/Instagram @nubiaoliiver

    Núbia Óliiver

    A famosa engravidou de Alexandre Frota, mas decidiu não prosseguir com a gestação. "Filho hoje é um vínculo muito grande que você tem. Pode dizer que é pecado, que é contra a lei, mas eu não queria ter aquele filho", assumiu durante o Programa Super Pop

  • Reprodução/Instagram @penelope_nova

    Penélope Nova

    "Provocar um aborto não é uma coisa natural, não é saudável e não é gostoso. Não acho que deva ser incentivado, mas também não cometi nenhum crime. Defendo a descriminalização. E não apenas em meu nome, mas em nome das mulheres que veem no aborto a única alternativa", disse a famosa em entrevista à revista TPM em 2005, revelando ter recorrido ao procedimento duas vezes, aos 15 e aos 26 anos

  • Reprodução/Instagram @rachelsherazade

    Rachel Sheherazade

    "Eu sou a favor da vida. Eu acho que existem outras precauções. O aborto não é um bom remédio para a orientação sexual. Acho que ele não soluciona nada. Eu já vi depoimentos de mulheres que fizeram aborto e aquelas mulheres levaram o peso na consciência por ter tirado a vida daquela criança. Eu acho que devemos apoiar a mulher grávida", opinou a jornalista no Programa do Raul Gil

  • Reprodução/Instagram @sandyoficial

    Sandy

    "Aborto, sob o ponto de vista jurídico, é crime. Eu defendo a descriminalização, principalmente quando a gravidez representa risco para a mulher ou para o bebê", pontuou a cantora em entrevista ao jornal O Globo em 2012, mesma ocasião em que afirmou achar "muito retrógrado não usar camisinha"

  • REUTERS/Yves Herman

    Sonia Braga

    "Crime é o aborto não ser legal no Brasil", declarou a atriz à revista Elle, afirmando que já recorreu ao procedimento "muitas vezes": "No primeiro, eu era muito criança. Tinha 17 anos. Se não tivesse um médico de confiança, eu poderia ter morrido"

  • Reprodução/Instagram @taisdeverdade

    Taís Araújo

    "Se sou a favor do aborto? Sou a favor da saúde da mulher. Não dá para as meninas e mulheres ficarem morrendo a torto e direito. Aborto é um problema de saúde pública e educação. Não dá para ignorar que as pessoas o fazem. O grande problema é que alguns fingem que ele não existe e colocam a religião na frente e, enquanto isso, mulheres estão morrendo", afirmou a atriz em entrevista ao jornal O Dia em março deste ano

  • Reprodução/Instagram @taniamaraoficial

    Tânia Mara

    "Minha formação é católica e eu sou mãe, então é óbvio que eu sou contra. Com dois meses e meio o feto já está praticamente formado. A primeira coisa que você consegue identificar na ultrassonografia são os batimentos cardíacos, não tem como não se emocionar ouvindo o coraçãozinho do bebê", disse em um evento no Rio de Janeiro em 2015. Ela acabou ainda definindo o que pensa sobre interromper uma gravidez, mesmo que no início: "Eu acho um crime"

  • Reprodução/Instagram @valescapopozuda

    Valesca Popozuda

    "É um tema muito delicado. Eu aprendo todos os dias a não julgar o próximo, já que, como pessoa pública, recebo diariamente julgamentos, alguns extremamente grosseiros e sem razão. Por essas e outras, acredito que cada um tem a liberdade de escolha. Mas que, para cada decisão, você paga um preço", disse a musa, que se considera uma feminista, ao El País em 2015. "Só quem passa por qualquer questão dolorosa na vida sabe o que é, a fundo", ainda completou a respeito do assunto em conversa com o site iG

  • Reprodução/Instagram @verazimmermann

    Vera Zimmermann

    "No Brasil, aborto é questão de saúde pública. Muitas mulheres morrem porque não têm dinheiro e recorrem a métodos perigosos. Prefiro o aborto a colocar uma criança no mundo sem condição de cuidar e educar corretamente", contou a atriz, que optou pelo procedimento aos 26 anos, segundo relatou à revista TPM

Listas