Topo

Para além do sushi: 10 curiosidades sobre a culinária japonesa

do BOL

03/09/2017 14h00

A influência da cultura japonesa e o fato de a comida ser uma delícia, claro, garantem ao cardápio vindo do Japão um sucesso excepcional no Brasil. Porém, antes de partir para o rodízio, confira alguns fatos importantes para compartilhar com os amigos à mesa:

  • iStock

    Temperos

    Tipicamente agridoce, a culinária japonesa faz uso de temperos como açúcar, vinagre, limão, shoyu e gengibre. Na preparação do arroz para o sushi, um tipo de vinagre especial é utilizado

  • Bbel

    Mais amido

    O arroz tipicamente utilizado nos pratos japoneses possui uma quantidade de amido maior do que o usado em pratos brasileiros. Com isso, após cozido, os grãos permanecem mais grudados, o que, por sua vez, facilita na hora de pegar com o hashi. Se o arroz desmanchar antes de chegar na sua boca é sinal de que não foi preparado ou não é do tipo certo

  • Getty Images

    Cuidado com o shoyu

    Por mais saboroso que seja, não se empolgue tanto na hora de usar o molho. Os japoneses, por exemplo, consideram que colocar shoyu diretamente no arroz atrapalha na hora de saborear o prato. O ideal é olhar apenas as carnes sem tempero e em pequena quantidade, sem mergulhar tudo no molho de uma vez

  • Reprodução/Vitrine do Japão

    Jeitinho brasileiro

    Apesar de não sermos os únicos, aqui no Brasil, nós temos a mania de incrementar os pratos com toques para lá de verde e amarelos. Não poderia ser diferente com a culinária japonesa, mas, para constar, o uso de frutas, como manga e morango, além de cream cheese e tomate seco não acontece e eles, inclusive, acham bem estranho a mistura quando se deparam com as versões brasileiras de seus pratos

  • Bbel

    Salmão

    Para quem adora os pratos que incluem salmão fica aqui uma surpresa: ele nem sempre foi bem visto na culinária japonesa. Na verdade, ele não era nem visto. Apesar de os outros tipos de peixes sempre terem sido populares na alimentação, foram os noruegueses que apresentaram o salmão para os japoneses na década de 1980

  • Reprodução/TV UOL

    Todo temaki é um sushi, mas nem todo sushi é um temaki

    Isso mesmo. Há uma imensa variedade quando o assunto é sushi. O temaki é uma delas. Sushi em formato de cone. Então, se você come temaki, pode dizer que come sushi, sim

  • Emiliano Capozoli/UOL

    Melhor jeito de comer

    Diversos pratos japoneses são apreciados com as mãos, como é o caso do sushi, aliás. Durante as refeições por lá, o garçom traz uma toalha quente e úmida, que permanece com o cliente o tempo todo para que ele possa ir limpando as mãos ao longo de toda a refeição. Em outros lugares do mundo, inclusive no Brasil, alguns restaurantes disponibilizam as toalhas, mas acabam retirando em algum momento, sem que o cliente fique com ela todo o tempo. Outra dica para devorar seu prato no melhor estilo japonês é comer o sushi com uma única mordida

  • Reprodução/Bored Panda

    Fonte da juventude

    O fato de a culinária japonesa ser rica em ômega 3, tipo de gordura conhecida como ácido graxo e ricamente encontrada em alimentos como peixes, por exemplo, ajuda no combate ao envelhecimento. Além de ajudar na diminuição do colesterol considerado ruim, também atua no combate a processos inflamatórios. O missô, espécie de pasta usada como ingrediente especialmente para fazer a sopa de missô, por sua vez, ajuda a melhorar a elasticidade da pele combatendo a morte celular e dando um aspecto mais hidratado para quem consome

  • Reprodução/Tofugu

    Pode fazer barulhinho, sim

    Os japoneses consideram completamente aceitável fazer aquele som de sugar a sopa ou mesmo o macarrão. Em vez de ficar soprando o prato para esfriá-lo, eles sugam pequenas porções e comem o alimento quentinho para aquecer o corpo

  • Reprodução/Qubix

    Reconhecida pela ONU

    A gastronomia japonesa tradicional é reconhecida pela ONU por conta de sua importância cultural. Além disso, segundo o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), José Graziano da Silva,o Japão "é um modelo global de dieta saudável e tem o nível mais baixo de obesidade entre as nações desenvolvidas, menos de 4%"

Mais Listas