Topo

Nove fatos e curiosidades sobre Antonio Calloni

Colaboração para o BOL

06/12/2018 08h00

Egízio Antonio Calloni, ou só Antonio Calloni, completa 57 anos nesta quinta-feira (6/12/2018). Confira detalhes da vida e da carreira do ator, que já fez diversos papéis na telinha.

Leia também:

  • Divulgação

    Vestibular

    Nascido em São Paulo (SP) e filho de italianos, antes de decidir seguir carreira como ator, Calloni cogitou ser antropólogo. Na hora de prestar vestibular, escolheu Sociologia. Mas, depois de ter entrado na USP (Universidade de São Paulo), o ator cursou a faculdade por apenas seis meses até desistir

  • João Miguel Jr/TV Globo

    TV Globo

    Em 1986, aos 25 anos, Calloni estreou na Globo em "Hipertensão" e "Anos Dourados". Depois disso, seguiu fazendo sucesso na TV com papéis em "Deus Nos Acuda" (1992), "Malhação" (1996), "Sai De Baixo" (1996), "Os Normais" (2002), "JK" (2006), "Páginas da Vida" (2006), "Amazônia - De Galvez a Chico" (2007), "Caminho das Índias" (2009), "O Astro" (2011), "Além do Horizonte" (2013), "Justiça" (2016) e mais

  • Divulgação/TV Globo

    Estrangeiro na veia

    Você deve ter reparado em algumas tramas que ficaram de fora do item anterior. A razão disso é o fato de os estrangeiros serem um capítulo à parte na vida de Calloni. Tudo começou com o italiano Bartolo Migliavacca em "Terra Nostra" (1999). O sucesso foi grande e, no ano seguinte, ele fez Mohamed, em "O Clone". A parceria com Gloria Perez - vivendo um personagem com origens em outro país - se repetiria em "Salve Jorge", em que o ator deu vida a Mustafá. Em "Dois Irmãos", Calloni foi o imigrante libanês Halim

  • Divulgação/TV Globo

    Cinema e literatura

    Com cerca de 12 longas na carreira, Calloni revelou ao site da Globo Filmes seu amor pela sétima arte: "Sou apaixonado por cinema e gostaria de fazer muito mais do que faço. Vou aguardar. Quanto mais eu puder fazer cinema, melhor", declarou em 2013, após o lançamento de "Faroeste Caboclo". Para além da atuação, há outra paixão na vida do artista: a escrita. Em 2000 e 2001, ele publicou, respectivamente, os livros "Os Infantes de Dezembro" - de poesias - e "A Ilha de Sagitário" - de contos

  • Reprodução/Instagram @antonio_calloni

    Mudança no corpo

    Em 2015, o que surpreendeu os fãs de Antonio Calloni foi a sua silhueta. Ao postar uma selfie no Instagram sem camisa, ele apareceu enxuto e se alegrou com os elogios dos seguidores. "Eu malho para tonificar, não para ficar fortão. Ando de bicicleta, faço uma musculação em casa e cuido da alimentação. Já perdi 20kg de 2008 para cá", contou ao Extra. "Está todo mundo brincando com o meu corpinho de 53 anos [risos]. Me divirto muito com essa rede social", disse o ator

  • Reprodução/Instagram @antonio_calloni

    Pai coruja

    Antonio Calloni é pai de Pedro Antonio. O que surpreendeu os fã em novembro de 2017 foi a semelhança entre eles, visível na foto postada pelo pai no Instagram. No mesmo mês, ele fez questão de divulgar a transmissão ao vivo pelo Facebook da Billboard em que o filho se apresentou ao lado de Anitta. Pedro se mudou para os Estados Unidos para estudar na Berklee College of Music, uma das principais universidades de música do mundo

  • Reprodução/Instagram @antonio_calloni

    Casamento duradouro

    Em março deste ano, durante férias em Porto de Galinhas, Pernambuco, com a esposa, a jornalista Ilse Rodrigues, Antonio Calloni fez questão de falar para a Caras sobre os segredos da relação de 25 anos: "Gosto de dar presentes para ela, mesmo fora de ocasião". O ator ainda revelou que se pudessem, os dois viajariam "sem parar"

  • Divulgação

    Estuprador em série

    Baseada em fatos reais, a minissérie "Assédio" (2018) trouxe Calloni na pele de Roger Sadala, um médico acusado de estupro e assédio sexual. A trama é fundamentada na vida de outro médico - de carne e osso - Roger Abdelmassih, condenado por violentar mais de 50 mulheres. "Eu tive que acreditar nele o tempo inteiro. Eu não podia julgar. Isso foi muito difícil", relatou o ator ao conversar com O Globo sobre as dificuldades em desempenhar o papel

  • Reprodução/Instagram @danstulbach

    Um morto muito louco

    Em seu papel mais recente, como Egídio, em "O Sétimo Guardião", Calloni arrancou risos nos bastidores. Durante a preparação para gravar a cena do velório de seu personagem, o ator foi flagrado pelo colega Dan Stulbach dentro do caixão dando uma olhadinha marota no celular. A foto, postada no Instagram, no início de dezembro deste ano, rendeu comentários divertidos dos seguidores: "A pessoa morre, mas lembra que deixou o Facebook aberto", comentou um internauta. "Morto mais conectado que eu já vi", disse outro. "Quando você morre e lembra que esqueceu de apagar as conversas do WhatsApp", escreveu mais um fã

Mais Listas