Topo

Dez fatos sobre a vida e a carreira de Fafy Siqueira

Colaboração para o BOL

17/10/2018 08h28

Fafy Siqueira - o nome artístico de Fátima de Figueiredo - completa 64 anos nesta quarta-feira (17/10/2018). Saiba detalhes sobre o início da carreira da atriz e por onde ela anda atualmente.


Leia também:

  • João Miguel Jr./Globo - Blog do Arcanjo - UOL

    Início de carreira

    Fafy é atriz e diretora e já atuou em espetáculos próprios, como o "Dó Ré Mi Fafy", mas o despertar para a vida artística começou em outra área: em 1970, lançou-se como cantora e compositora. Ela chegou, inclusive, a gravar quatro discos, que marcaram seu interesse pelo sertanejo. Como compositora, ela fez músicas para Sandy e Junior, e Xuxa - para quem compôs a famosa "Marquei um X"

  • Antonio Chahestian/Record TV

    "Tinha que ser feia"

    "A mulher no humor tinha que ser feia, não podia ser bonita. Elas tinham que ser feias para chamar a atenção, para serem chacotadas", desabafou Fafy em entrevista ao Programa do Porchat, em junho deste ano, quando falou sobre os estereótipos com que se deparou ao entrar no universo do humor

  • Divulgação

    Personagens e programas

    Famosa por suas participações em programas de humor como "Escolinha do Professor Raimundo", "Zorra Total" e "A Praça é Nossa", Fafy Siqueira tem entre seus personagens mais conhecidos a cantora Gardênia Alves e a portuguesa Jupira, mas ela tem uma extensa gama de trabalhos em seu currículo. Esteve em produções como "Hipertensão" (1986), "Mandala" (1987), "Zazá" (1997), "Brida" (1998), "Cobras e Lagartos" (2006) e "Sangue Bom" (2013). Outro papel que marcou sua trajetória foi como Dercy Gonçalves (foto), quem interpretou nas séries "Dalva e Herivelto" (2010) e "Dercy de Verdade" (2012). Em 2014, havia dado vida à madame Aracy em "Pé na Cova". Antes de integrar a temporada de PopStar deste ano, seu último papel na TV aberta havia sido como Dona Marisa, na série "Chapa Quente", em 2016. Em 1989, levou o Troféu Imprensa de Melhor Humorista Feminina. No cinema, esteve em seis filmes

  • Reprodução/Twitter

    "Perco a piada, mas não perco o amigo"

    Conhecida por fazer algumas imitações características, como de Roberto Carlos e Ronald Golias, Fafy Siqueira contou para Fabio Porchat uma vez em que sua atuação não agradou: "Elba Ramalho não gostou da minha imitação. Ela não falou, mas fez cara feia. Não achou ruim, mas eu me senti mal. Eu perco a piada, mas não perco o amigo"

  • Wikipedia

    Crise dos 60

    Em 2013, Fafy Siqueira desabafou em entrevista à revista Quem sobre a sensação de viver seis décadas: "Estou saindo de uma crise de idade que não tive aos 30, aos 40, e muito menos aos 50 anos. Mas quando completei 60 anos e três meses, o mundo caiu. Há seis anos faço terapia. Não é uma coisa rotineira. Faço, paro e volto a fazer de novo. Hoje, inclui sessões também com um psicoterapeuta e uso de medicamentos para controlar o que tive", disse em referência à Síndrome do Pânico

  • Divulgação/RedeTV!

    Solteira e sem filhos

    Em abril deste ano, Fafy conversou com Daniela Albuquerque (à direita) para o Sensacional. Na ocasião, revelou a razão para não ter casado e tido filhos: "Faltou oportunidade. Nunca engravidei e as coisas foram passando. Quando tinha 50 anos não existia essa facilidade de hoje para que as mulheres que tem 50 anos engravidem". Ela afirmou ainda que a falta de um herdeiro marcou sua vida. "Com exceção dos meus pais, coloquei minha profissão acima de tudo e me arrependo profundamente. Poderia ter diminuído o tempo que dediquei ao trabalho para cuidar do lado pessoal", já havia dito a atriz em entrevista à revista Quem em 2013

  • Divulgação/TV Globo

    Homem ideal

    Ainda em conversa com Daniela Albuquerque, Fafy Siqueira revelou quais seriam as características do perfil desejado para tirá-la "da praça": "Bom humor sempre. Não tem idade, tipo físico, até porque os homens mais bonitos foram os que mais me traíram"

  • Divulgação/TV Globo

    "PopStar"

    Em cartaz com a comédia "Muito Louca", em São Paulo, Fafy Siqueira foi escalada para a segunda temporada do reality musical PopStar. Ao UOL, declarou ter ficado feliz com a oportunidade de retomar a carreira como cantora e voltado ao canal aberto: "Graças a Deus não posso reclamar das oportunidades, mas senti na pele o que é ficar longe de uma emissora de grande projeção. Mesmo trabalhando em teatro, cinema e fazendo todos os programas de humor de um canal pago, as pessoas comentavam que eu estava sumida. Estava no Multishow, mas me cobravam volta à Globo. A verdade é que o público de televisão mesmo não assiste muito aos canais pagos"

  • Léo Marinho e Marcello Sá Barretto/AGNews

    Homenagem do ex

    O dia 30 de setembro de 2018, Fafy Siqueira reencontrou Elymar Santos no PopStar. O jurado não se conteve ao falar sobre a participante: "Fafy, queira ou não queira, você é uma grande estrela. E a gente já deu um esfrega, a gente já foi noivo". Ao ser questionado pela apresentadora Taís Araújo, continuou: "A gente se conhece há tanto tempo. Começamos a carreira juntos, participávamos dos festivais estudantis e Fafy arrebatava todos os prêmios de melhor intérprete. O tempo passou e esqueci que você cantava, porque você partiu pra fazer outras coisas. E hoje você está cantando mais do que nunca. [...] Você é o retrato da cantora brasileira, da intérprete brasileira, da grande cantora". Fafy também não conteve a emoção e soltou: "Fui noiva dele, foi meu primeiro namorado. Meu pai, minha mãe, adoravam ele, meu irmão... A gente não casou porque a vida da gente foi uma loucura, mas a gente viajava o Brasil todo, foi a coisa mais lúdica. Ele cantava minhas músicas e eu ganhava muitos festivais por conta dele, pela interpretação dele. Foi uma coisa linda"

  • Reprodução/Band

    Exigente

    Em agosto, ao conversar como UOL, Fafy Siqueira falou sobre a sua participação no reality musical: "Fiz o que queria. Eu queria dar uma marca naquelas músicas, a marca Fafy Siqueira e tive apoio de toda a equipe, do elenco, dos músicos. Sou meio chatinha. O maestro já vinha com um arranjo definido e eu pedia para trocar. Eu vim de São Paulo para acompanhar todo o processo e assumo que não gosto que cheguem e falem: 'Olha é isso e ponto'. Não, não é isso! Eu tenho 45 anos de carreira e sei o que é que funciona melhor na minha voz. Tudo é conversado com muita verdade e tem sido uma experiência maravilhosa"

Listas