PUBLICIDADE
Topo

Deyverson não está só: Jogadores que já se envolveram em polêmica por cuspe

Reprodução/Premiere FC
Imagem: Reprodução/Premiere FC
do UOL

Do UOL, em São Paulo

05/02/2019 04h00

O atacante Deyverson foi o destaque negativo da derrota do Palmeiras para o Corinthians, no último sábado (2), pelo Campeonato Paulista. O jogador foi expulso no segundo tempo da partida após cuspir no volante Richard.

O caso não foi o primeiro envolvendo Deyverson e ataques desse tipo. Em 2017, o jogador trocou cusparadas com o zagueiro Godín, do Atlético de Madri. Naquela vez, contudo, não foi expulso.

Mas cusparadas não são exclusividades de Deyverson. Diversos jogadores já se envolveram em polêmicas ao usarem o gesto para atacarem adversários. Confira alguns:

  • Reprodução

    Douglas Costa

    Em setembro do ano passado, Douglas Costa perdeu a cabeça e cuspiu em Federico Di Francesco, do Sassuolo. O jogador da Juventus foi expulso, pegou três jogos de suspensão e ainda ficou de fora dos convocados de Tite. O técnico da seleção brasileira admitiu que a atitude pesou para que o atacante ficasse fora. Leia mais

  • Marcello Zambrana/AGIF

    Bruno Henrique

    Na derrota em casa para o Barcelona de Guayaquil, que eliminou o Santos da Libertadores de 2017, o atacante foi expulso por cuspir no rosto do meia Damián Díaz durante uma discussão com os jogadores do time equatoriano. "No calor do momento do jogo, cometi um grande erro ao cuspir em um adversário e colega de profissão. Me arrependo e peço desculpa", postou Bruno Henrique no dia seguinte.

  • Rubens Cavallari/Folha Imagem/Folhapress

    Danilo

    Na Copa do Brasil de 2010, o zagueiro Danilo, do Palmeiras, cuspiu em Manoel, do Atlético-PR, e o chamou de "macaco". O caso parou na Justiça, e Danilo acabou condenado por injúria qualificada. Leia mais

  • Reprodução/Fox Sports

    Centurión

    Na Libertadores de 2016, o atacante argentino desfalcou o São Paulo por três jogos por cuspir em um adversário do Toluca nas oitavas de final. "O jogador deles me deu uma pancada embaixo. Não toquei ele, mas o juiz me expulsou em seguida. Fiquei com muita raiva por ele ter deixado nosso time com dez", explicou Centurión, admitindo o erro.

  • Joka Madruga/Futura Press/Estadão Conteúdo

    Kléber Gladiador

    O Coritiba perdeu o atacante em 15 jogos no Brasileirão de 2017 por causa de uma discussão com o volante Edson, do Bahia. O juiz relatou na súmula que os dois trocaram cusparadas. Mas as câmeras flagraram apenas a agressão de Kléber, que levou uma punição mais dura. Edson também foi suspenso, mas por apenas seis partidas.

  • Chilavert

    Depois da vitória do Brasil sobre o Paraguai nas eliminatórias da Copa da Coreia/Japão, em 2001, Roberto Carlos foi abraçar o goleiro Chilavert, que surpreendeu o lateral com uma cusparada na cara. O paraguaio foi multado em US$ 10 mil e levou quatro jogos de suspensão, desfalcando sua seleção nos primeiros jogos da Copa de 2002. "Ele falou que eu era índio. E perdendo de 2 a 0, com a cabeça quente, é uma situação que pesa", justificou Chilavert.

  • Fernando Maia/UOL

    Rafael Moura

    O Fla-Flu de 2011 foi quente. No primeiro tempo, Rafael Moura foi para o vestiário com o nariz sangrando após uma cotovelada de Renato Abreu, do Flamengo. A resposta veio com a partida já encerrada. Enquanto os jogadores do Fluminense cercavam o árbitro da partida, Rafael Moura passou por Renato, que estava próximo, e desferiu uma cusparada. Leia mais

  • Ricardo Nogueira/Folhapress

    Hugo

    O meia bicampeão brasileiro com o São Paulo desfalcou o time de Muricy Ramalho em 2007 por dar uma cusparada em Goiano, do Paraná Clube. Acabou suspenso por 120 dias. Ao se explicar em uma entrevista coletiva, ele se mostrou arrependido e até chorou: "Sou tranqüilo, não brigo com ninguém. Ao ver minha imagem, não acreditei que fosse eu. Meus pais me deram uma bronca, disseram que não me criaram assim".

  • Reprodução

    Javier Pinola

    O argentino do River Plate jogava no Nuremberg quando foi flagrado cuspindo em Schweinsteiger, do Bayern de Munique, em 2010. "Tenho vergonha do que fiz", lamentou o zagueiro, que pediu desculpas ao meia alemão, mas não escapou de um gancho de quatro jogos.

  • Luciano Belford/AGIF

    Élton

    Um caso mais recente de cusparada em campo aconteceu na eliminação do Vasco diante do Bahia na Copa do Brasil. Depois de uma confusão entre os jogadores no final do jogo, o meia Élton admitiu que cuspiu em um dirigente vascaíno: "Está chamando o Bahia de time pequeno. Eles têm que ter respeito. Eu dei uma cusparada, mas não bateu neles, não".

  • Reprodução/Sportv

    Luan

    O atacante ex-Palmeiras, hoje no América-MG, levou uma cusparada de um torcedor da URT enquanto saía da campo após ser subtituído no Campeonato Mineiro deste ano. O problema é que ele revidou a ofensa e cuspiu de volta em direção às arquibancadas. O torcedor foi identificado e levado à delegacia. Já o jogador escapou de uma punição mais pesada e foi apenas multado.

  • Reprodução/Sportv

    Falcão

    A lenda do futsal também já perdeu o controle diante de torcedores adversários e reagiu com uma cusparada. Aconteceu na Liga Futsal de 2015, quando ele defendia o Sorocaba na semifinal contra o Carlos Barbosa. Ele atuava como goleiro-linha e discutiu com o público que estava atrás do gol. Falcão foi suspenso por seis jogos, e o Carlos Barbosa perdeu dois mandos. "Venho aqui pedir perdão pelo ato, desculpas para meus fãs, amigos, família, crianças e, principalmente, meus filhos", escreveu o jogador no Instagram.

  • Wilson Melo/Folhapress

    Neto

    O ex-jogador do Corinthians e apresentador da Band foi protagonista de uma das cusparadas mais famosas do futebol. Durante um clássico contra o Palmeiras no Paulistão de 1991, ele foi expulso e reagiu cuspindo no rosto do juiz José Aparecido de Oliveira. Neto acabou suspenso por quatro meses. E admitiu o erro, inclusive na frente do árbitro em seu programa de TV. "O ser humano tem que ter humildade, e o que eu fiz foi um erro e sujeira da minha parte".

Listas