PUBLICIDADE
Topo

Listas

Nove declarações polêmicas de Renato Gaúcho

Colaboração para o BOL

09/09/2018 07h00

Responsável pelo Tricampeonato do Grêmio na Libertadores da América, como treinador e também pelo primeiro título do clube no torneio, como jogador, Renato Gaúcho completa 56 anos neste domingo (9/9/2018). Conhecido não só pelo talento com a bola, mas pela língua afiada, não faltam polêmicas no vestiário do pai de Carol Portaluppi.


Leia também:

  • Lucas Uebel/Grêmio

    Psicólogo

    Em 2010, com apenas 15 dias no Grêmio, o técnico estava com o time na zona de rebaixamento e, ao ficar sabendo que o então diretor do clube Alberto Guerra estava pensando em contratar um psicólogo para motivar a equipe, tratou logo de causar uma polêmica: "O psicólogo sou eu. Hoje o grupo precisa ouvir um cara que conhece vestiário e é experiente. Respeito a opinião de todos, mas no meu grupo não entra psicólogo. Tem que conhecer vestiário e campo, e quem conhece sou eu", declarou

  • REUTERS/Diego Vara

    Vai renovar ou não vai

    Com a eleição da nova direção do Grêmio, Paulo Odone conquistou a presidência e derrotou a chapa que tinha a simpatia de Gaúcho. Ao ser questionado sobre a abertura de negociações para o contrato, tratou logo de abrir o jogo e colocar as cartas na mesa: "Se vier a Libertadores [o Grêmio disputava uma vaga no torneio] será leilão. Quando cheguei o Grêmio estava mal, agora a situação é outra. A prioridade é do Grêmio, mas quem tem que dar o primeiro passo é o futuro presidente"

  • Lucas Uebel/Grêmio

    Para geral ver

    Ainda a respeito da renovação de seu contrato, em 2010, ele continuou trazendo a público os detalhes da discussão com o novo presidente. Indagado sobre a proposta que teria recebido, respondeu de forma irônica: "Meu sorriso responde. Às vezes agrada, às vezes não. Se a antiga direção tivesse continuado já teria renovado"

  • LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

    Trote

    Em 2011, uma "brincadeira", acabou saindo cara para o técnico. Ele estava no Peru, com o Grêmio, quando atendeu uma ligação de Jorge Kajuru perguntando se ele havia recebido uma proposta do Fluminense, sem pestanejar, o técnico respondeu: "Não te falei nada, mas tem chance. Posso trocar o Grêmio pelo Fluminense, sim". Três dias depois ele veio a público dizer que tudo não passava de um trote, garantindo sua permanência no Grêmio. Acontece que o episódio abalou ainda mais a relação do comandante da equipe com a direção

  • REUTERS

    Mastigadinho

    Em junho de 2011, foi a vez da diretoria se cansar das acusações de Renato Gaúcho e rebater também em público uma acusação. Depois de o técnico falar sobre a necessidade de reforçar o elenco e revelar telefonar para jogadores para apressar contratações, mandou na lata: "A direção precisa se mexer. Deixo tudo mastigadinho para eles". Quem não gostou nada da polêmica foi o vice de futebol Antônio Martins, que rebateu: "Ele não manda no Grêmio"

  • REUTERS/Diego Vara

    Não estuda porque se garante

    Em dezembro de 2016, durante entrevista coletiva, revelou que gosta mesmo de brincar e cutucar os rivais. "Muita gente interpreta mal, começa a achar que é brincadeira, que não leva o futebol a sério, que não tem perfil para treinador, fica difícil. Eu gosto de ficar alegre, de fazer brincadeiras, até porque o futebol precisa disso. Não atingi ninguém com esse meu discurso, repito ele normalmente, quem conhece, conhece. Não ofendi ninguém. Se alguém quer estudar na Europa, vai, tem todo o direito. Quem se garante não precisa estudar tanto assim", provocou em referência aos colegas, que costumam buscar especializações. Para ele, exercer a atividade é como "andar de bicicleta"

  • Ricardo Rímoli/AGIF

    Desculpas ao Timão

    Em julho de 2017, foi a vez de pedir desculpas ao Corinthians, depois de dizer que o Timão "despencaria" na tabela do campeonato Brasileirão: "Me posicionei mal. Disse que o Corinthians despencaria. Peço desculpas. [Eu quis dizer que] Ele tropeçaria. Despencar fica muito mais difícil, mas vai tropeçar", se retratou depois que a declaração não pegou nada bem com a torcida rival

  • Thiago Ribeiro/AGIF

    O mundo é dos espertos

    Em novembro de 2017, Gaúcho precisou se desculpar depois de dizer que "o mundo é dos espertos" durante uma entrevista coletiva. A declaração aconteceu depois do técnico do Grêmio ter sido questionado sobre o suposto uso de drones para espionar os treinos dos adversários. Após a polêmica, ele disse, por meio de assessoria de imprensa, que usou a expressão de forma errada e não teve a intenção de fazer isso de maneira pejorativa. "Na verdade, o mundo é dos inteligentes", corrigiu

  • Lucas Uebel/Grêmio

    Melhor que CR7?

    Em 2017, Gaúcho soltou o verbo outra vez. "Fui melhor jogador do que Cristiano Ronaldo. Não tenho dúvidas. Gostaria de vê-lo jogar nas equipes em que eu joguei, muitas vezes sem receber durante três ou quatro meses seguidos e ser um campeão como eu", declarou no programa Bola da Vez, da ESPN Brasil. "Gostaria de ter jogado neste Real Madrid, com jogos uma vez por semana, em grandes campos e com os companheiros que ele tem. Cristiano é um grande jogador, mas não tão versátil como eu era. É muito forte mas não tem muita técnica. Esta geração não me viu jogar, quem teve essa oportunidade tem uma opinião diferente", completou

Listas