Topo

11 curiosidades sobre a história do Café no Brasil

Colaboração para o BOL

2019-04-14T07:00:00

14/04/2019 07h00

Uma das bebidas mais consumidas no Brasil e no mundo é, sem dúvidas, o café. Para celebrar essa bebida, em 14 de abril é comemorado o Dia Mundial do Café. E a história do café no Brasil é recheada de fatos curiosos. Nessa lista vamos te apresentar 11 dessas curiosidades.

  • Reprodução/Rede Peabirus e Reprodução/GraoGourmet

    Quando chegou?

    A origem do café no Brasil vem do século 18. O responsável por trazer as primeiras mudas para o país foi Francisco de Melo Palheta, militar luso-brasileiro, após uma missão na Guiana Francesa. As primeiras plantações datam de meados dos anos 1720 na província do Pará

  • Reprodução/Estudo Prático

    Clima favorável

    Os primeiros produtores de café no Brasil encontraram clima e solo favoráveis ao cultivo e produção dos grãos, mas à época o objetivo era exportar para Estados Unidos e Europa

  • Reprodução/Moccato

    A trajetória pelo país

    Se o plantio de café começou no Pará, aos poucos o cultivo se espalhou por outras regiões do país para que fosse possível fortalecer o mercado doméstico. Assim, locais como Rio de Janeiro, Paraná, Bahia, Maranhão, São Paulo e Minas Gerais também passaram a ter plantações. Esse rápido crescimento fez com que o produto se tornasse a base da economia do país

  • Reprodução/Aenda

    Pilar econômico

    Entre as décadas de 1820 e 1840, a produção de café no Brasil cresceu tanto a ponto de estabelecer uma nova cultura no país. Foi a partir daí que se estabeleceu um novo ciclo econômico, onde o Brasil aumentou sua produção, e por consequência a exportação do produto

  • Reprodução/Ponto dos Cafés

    Benefícios e melhorias

    Através do avanço financeiro que foi possível com a produção de café, o Brasil pode se desenvolver. O dinheiro do cultivo e exportação do produto beneficiou cidades em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, além de financiar a construção de ferrovias para permitir o trânsito de mercadorias

  • Jean-Baptiste Debret e Reprodução/Cultura do Café

    Trabalho escravo

    Assim como grande parte da força de trabalho na época do Brasil Colônia, a produção de café teve mão de obra escrava. Africanos eram trazidos para formar a força de trabalho no cultivo, colheita e preparação dos grãos. A busca dos produtores por ampliar os negócios nessa área fez com que fosse intensificado o tráfico de escravos

  • Reprodução/imagohistoria

    Política do Café com Leite

    No período da República Velha, que aconteceu logo após a proclamação da República, em 1889, e durou até 1930, houve o que foi chamado de Política do Café com Leite, em que a presidência do país era alternada entre um representante de São Paulo e um de Minas Gerais. São Paulo era o maior produtor de café, e Minas Gerais, o maior produtor de leite, o que fazia com que as duas regiões fossem as mais ricas e populosas do país. Isso fez com que a força política também se concentrasse nas duas regiões. Durante esse período, a burguesia cafeeira paulista praticamente controlou toda a política monetária nacional. A grande consequência foi a transformação da estrutura do Brasil no federalismo, ou seja, na divisão e independência de cada município, estados e distrito federal

  • Reprodução/Abracomex

    Atualidade

    O Brasil é o maior exportador de café no mercado mundial. O país é responsável por um terço de toda a produção mundial do produto, e essa posição já é do Brasil há 150 anos

  • Reprodução/Rural Pecuaria

    Principais regiões produtoras

    Seis estados brasileiros são responsáveis pela produção de café no território nacional. Minas Gerais é o principal polo, tendo metade da produção nacional concentrada em seus municípios. Em seguida vem Espírito Santo, São Paulo, Bahia, Paraná e Rondônia

  • Reprodução/Cafetipuana

    Estimativa para 2019

    O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) estima que o Brasil deverá produzir 53,9 milhões de sacas de 60 quilos de café em 2019. Em comparação com o ano anterior, é esperada uma queda de 10%, que é considerada pelos especialistas como uma variação normal

  • Reprodução/Melhores Brokers

    Consumo

    Em 2017, o Brasil foi listado como o 2º maior país consumidor de café do mundo, estimando-se 21,5 milhões de sacas consumidas, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, que consumiu 25,8 milhões de sacas. Dados da Abic (Associação Brasileira da Indústria de Café) estimam que até 2021 o Brasil supere 23 milhões de sacas de café consumidas

Mais Listas