Topo

Conheça os sete ex-presidentes brasileiros que já foram presos

Colaboração para o BOL

2019-03-21T20:15:03

21/03/2019 20h15

Assim como Michel Temer, preso na operação Lava Jato, outros ex-presidentes do Brasil também já foram encarcerados, mas por motivos diferentes. Temer teve a prisão preventiva decretada após a acusação de ser beneficiado com propina, em um processo criminal. O mesmo acontece nas duas condenações de Lula. Já seus antecessores na dobradinha presidência e prisão cumpriram penalidades por seus posicionamentos ideológicos ou em golpes políticos.

Conheça a seguir um pouco mais da história do nosso país.

  • Orlando Britto/Divulgação

    Michel Temer (2019)

    Michel Miguel Elias Temer Lulia (MDB) foi preso pela operação Lava Jato do Rio de Janeiro no dia 21 de março de 2019. Ele foi detido em São Paulo, onde reside, e foi levado para o Rio de Janeiro, sob mandado de prisão expedido pelo juiz Marcelo Bretas. Seu nome foi citado pelo delator José Antunes Sobrinho, dono da Engeviz, que confessou ter repassado 1 milhão de reais em propina a Coronel Lima, militar amigo de Temer e do ex-ministro Moreira Franco (MDB), que também foi preso na mesma operação e é sogro de Rodrigo Maia (DEM). Além disso, Temer é alvo de dez inquéritos. Formado em Direito, Michel Temer governou o Brasil após o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), entre 31 de agosto de 2016 e 31 de dezembro de 2018

  • Ricardo Stuckert/Agência Brasil

    Lula (2018)

    No dia 7 de abril de 2018, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi preso, em Curitiba, por lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Condenado em dois processos que, somados, totalizam 25 anos de sentença, o ex-presidente ainda conta com sua defesa para recorrer à decisão ou para que a pena seja parcialmente cumprida em liberdade. Lula governou o país entre 1º de janeiro de 2003 e 31 de dezembro de 2010, sendo sucedido pela presidente Dilma Rousseff (PT). O ex-presidente foi também um metalúrgico e sindicalista que atuou inicialmente na região do ABC paulista. Entre as marcas do seu governo, estão os programas Bolsa Família e Fome Zero, políticas de combate à miséria e à fome no Brasil

  • Divulgação Presidência da República

    Juscelino Kubitschek (1967)

    JK, como ficou conhecido, governou o Brasil de 1956 a 1961. Médico e mineiro, Juscelino chegou a ser prefeito de Belo Horizonte e governador de Minas Gerais antes de se tornar presidente da República. Como presidente, ficou conhecido pela sua campanha "50 anos em 5", programa de desenvolvimento econômico. JK também foi responsável pela construção da nova sede da capital federal, em Brasília. Após o golpe militar de 1964, foi acusado de corrupção e aliança com comunistas e teve seus direitos políticos suspensos. Em 1967, participou da Frente Ampla pela volta da democracia no Brasil, então foi levado à prisão, onde permaneceu por alguns dias até que foi conduzido para seu apartamento, permanecendo em prisão domiciliar

  • Divulgação Presidência da República

    Café Filho (1954)

    João Fernandes Café Filho era vice-presidente na época em que Getúlio Vargas cometeu suicídio, em 1954, o que o levou a assumir a presidência. Um ano depois, Café Filho sofreu um ataque cardíaco que o afastou de seu cargo. Porém, quando estava prestes a voltar à presidência, foi cercado por um grupo militar em seu apartamento. Os militares pediam a posse de Juscelino Kubitschek. Assim, Café Filho permaneceu preso em sua própria casa até que o STF confirmasse o pedido de renúncia do então presidente, o que assegurava a posse de JK

  • Divulgação Presidência da República

    Artur Bernardes (1932)

    Artur Bernardes foi o 12º presidente do Brasil, entre 1922 e 1926. Nascido em Minas Gerais, Bernardes sofreu forte oposição ao ser eleito, o que gerou o Levante do Forte de Copacabana e o início do movimento tenentista. Uma das marcas de seu governo foi o início da siderurgia, na região de Minas. Em 1932, já como ex-presidente, apoiou a Revolução Constitucionalista, em São Paulo, que tentava acabar com o governo de Getúlio Vargas. Bernardes foi preso em setembro do mesmo ano, partindo para o exílio em Portugal, onde permaneceu por um ano e meio

  • Divulgação Presidência da República

    Washington Luiz (1930)

    Último presidente do período da República Velha, Washington Luiz governou de 1926 a 1930, quando sofreu um golpe de estado liderado por Getúlio Vargas e foi levado preso para o Forte de Copacabana. O ex-presidente partiu para exílio na Europa e nunca mais atuou na política. Seu governo viveu um período de grande instabilidade econômica, principalmente com a queda da Bolsa de Valores de Nova York, que gerou grande conturbação em todo o mundo

  • Divulgação Presidência da República

    Hermes da Fonseca (1922)

    O Marechal Hermes da Fonseca foi o 8º presidente da República, de 1910 a 1914, uma época de muitos conflitos no país. Logo no primeiro ano do seu mandato, o ex-governante enfrentou a Revolta da Chibata, um levante de militares da Marinha que pediam o fim do uso de chibatas em seu ambiente de trabalho. Em 1922, já como ex-presidente, Hermes da Fonseca teve ordem de prisão decretada pelo presidente da época, Epitácio Pessoa. O motivo: Hermes da Fonseca criticou uma medida de intervenção federal em Pernambuco. Além de sua prisão, também foi fechado o Clube Militar, o que gerou uma comoção entre os militares, que resultaria no movimento da Revolta dos 18 do forte, ainda em 1922

Errata: o texto foi atualizado
05/04/2019 às 17h30
Corrigindo informação dada inicialmente no item 4 desta lista, o fim do Estado Novo se deu em 1945 e não em 1954.

Mais Listas