PUBLICIDADE
Topo

Carreira e polêmicas: 13 curiosidades sobre Robinho

Colaboração para o BOL

25/01/2019 07h00

Em 25 de janeiro, Robson de Souza, o Robinho, faz aniversário. O rei das pedaladas, apelido que ganhou por executar com perfeição o drible da pedalada, tem em sua carreira muitos títulos, gols e lances bonitos, mas acumula polêmicas fora dos gramados. Confira 13 curiosidades sobre Robinho, que chega aos 35 anos hoje.

  • Reprodução/TV Globo

    Início de carreira

    Robinho começou sua relação com o Santos ainda no futsal. Em 1996 realizou seu primeiro teste e foi aprovado. Disputou competições de base até 2002, quando foi "puxado" para o time profissional pelo treinador Celso Roth. Mas foi sob o comando de Emerson Leão que Robinho começou a fazer história no Peixe

  • Reprodução/Imortais do Futebol

    Conquista do Brasileirão de 2002

    Robinho virou titular do Santos na disputa do Torneio Rio-São Paulo, mas foi no Brasileirão que o jogador, até então com 18 anos, fez história. Ao lado de Elano, Diego, Léo e Renato, Robinho levou o Santos ao título do Campeonato Brasileiro, conquista que o Santos não alcançava desde 1968

  • Reprodução/YouTube

    Menino da Vila

    Robinho é ídolo do Santos e, pelo clube, conquistou cinco importantes títulos: 2 brasileiros (2002 e 2004), 2 paulistas (2010 e 2015) e 1 Copa do Brasil (2010). Robinho dá nome a um dos campos do Centro de Treinamento Meninos da Vila, onde se preparam os garotos das categorias de base do Santos. Mesmo não atuando mais no clube, o jogador segue demonstrando carinho através de publicações nas redes sociais

  • Reprodução/hindustantimes

    Real Madrid

    Destaque do Santos, o Menino da Vila deixou o clube em 2005 para defender o Real Madrid. À época, o time espanhol tinha muitas estrelas como Ronaldo, Beckham, Zidane, Roberto Carlos e Raúl González. Robinho ficou por um tempo no banco de reservas e conquistou a titularidade na temporada 2007/08. No entanto, acabou entrando em conflito com o treinador Bernd Schuster e revelou publicamente seu desejo de deixar a Espanha. Após 137 jogos e 35 gols, Robinho foi vendido para o Manchester City

  • Reprodução/mcfcwatch

    Aposta na Inglaterra

    Em baixa no Real Madrid, Robinho desejou ser negociado, e o pedido foi atendido. O Manchester City, da Inglaterra, clube que estava crescendo com recentes investimentos, pagou 40 milhões de euros (cerca de R$ 96 milhões) para ter o brasileiro. Robinho fez, em três temporadas, 16 gols em 53 jogos. O fraco rendimento acabou forçando seu retorno ao Brasil em 2010, para jogar outra vez no Santos

  • Reprodução/YouTube

    Participações em Copas do Mundo

    Desde 2002, Robinho acumula convocações para defender a seleção brasileira. No entanto, foi em 2005, na Copa das Confederações, que começou a se destacar. Participou da Copa de 2006, onde foi reserva na maioria dos jogos. Em 2010, já foi um dos protagonistas, marcando o único gol brasileiro na derrota por 2x1 para a Holanda, que decretou a eliminação da seleção. Chegou a ter novas chances nos ciclos de 2014 e até mesmo de 2018, mas não voltou a disputar Copa do Mundo

  • Giuseppe Cacace/AFP Photo

    Em alta na Itália

    Depois de disputar a Copa do Mundo de 2010 e da conquista da Copa do Brasil pelo Santos, Robinho retornou ao Manchester City, mas não foi aproveitado. O Milan acertou sua compra pelo valor de 18 milhões de euros (R$ 40 milhões). Vestindo a camisa 70 do clube italiano, Robinho atuou com jogadores como Alexandre Pato e Ibrahimovic. Marcou 32 gols em 144 jogos pelo clube italiano e recuperou o seu bom futebol na Europa

  • Bruno Cantini/Atlético Mineiro

    Retorno ao Brasil

    Depois de quatro temporadas no Milan, Robinho voltou ao Brasil, novamente para defender o Santos, onde ficou até 2015 e foi campeão paulista. Teve uma breve passagem no futebol chinês e foi contratado, em definitivo, pelo Atlético Mineiro, onde atuou em 109 partidas e marcou 39 gols entre 2016 e 2017

  • Divulgação/Sivasspor

    Desempenho na Turquia

    Mesmo jogando bem pelo Atlético Mineiro, Robinho não teve seu contrato renovado e deixou o clube no final de 2017. Para 2018, foi contratado pelo Sivasspor, da Turquia. Por lá fez 12 gols em 30 jogos e chamou atenção do Istambul Ba?ak?ehir, atual líder do Campeonato Turco, sendo contratado para atuar pelo clube em 2019

  • Reprodução/TV Globo

    Polêmica em campo

    Durante uma partida entre Chapecoense e Atlético Mineiro, Robinho, que jogava pela equipe de Minas Gerais, discutiu com Moisés Ribeiro, volante da Chape. O camisa 7 do Atlético fez os seus característicos dribles e foi repreendido pelo adversário. Chateado, Robinho perguntou "jogou onde?" a Moisés, menosprezando a carreira do colega de profissão. Em entrevista posterior ao caso, Robinho disse que se sentiu desrespeitado por Moisés

  • Luca Bruno/AP

    Treta com Ibrahimovic

    Robinho foi companheiro de Zlatan Ibrahimovic no Milan. Apesar de formarem uma boa dupla dentro dos gramados, fora dos campos a relação não foi tão boa assim. O brasileiro revelou em entrevista ao site Goal que o sueco é uma pessoa arrogante. Também disse que gostava de jogar com Ibra, mas que não era seu amigo

  • Divulgação/CBF

    Mentor de Neymar

    Robinho e Neymar carregam muitas características em comum. Ambos foram revelados no Santos, ajudaram a equipe a conquistar títulos, foram vendidos por grandes valores e ainda possuem um enorme carinho da torcida santista. Em 2010, jogaram juntos pelo clube e conquistaram a Copa do Brasil. Os dois atletas mantêm uma relação de amizade, com Neymar considerando Robinho como um dos seus maiores ídolos no futebol

  • Bruno Cantini/Atlético Mineiro

    Acusações de estupro

    Outras polêmicas que envolvem a vida do jogador Robinho são as duas acusações de estupro que ele sofreu. A primeira aconteceu em 2009, quando jogava na Inglaterra. Nesse caso, Robinho foi considerado inocente. O outro aconteceu em janeiro de 2013. Uma mulher albanesa acusou o atleta e cinco amigos de abusarem sexualmente dela em uma casa noturna em Milão. Robinho foi condenado a nove anos de prisão na Itália. No entanto, o pedido de extradição do atleta só vai ocorrer quando todos os recursos na justiça se esgotarem

Listas