PUBLICIDADE
Topo

Bettinas do futebol: Jogadores que se valorizaram muito em até três anos

Éder Militão fez o Porto ter um lucro de 31 milhões de euros em oito meses - Divulgação/Porto
Éder Militão fez o Porto ter um lucro de 31 milhões de euros em oito meses Imagem: Divulgação/Porto
do UOL

Do UOL, em São Paulo

17/03/2019 04h00

Se você acompanha vídeos no Youtube ou gosta dos memes das redes sociais, já ouviu falar da Bettina, a garota prodígio que viu seu patrimônio subir de R$ 1.520 para R$ 1 milhão e 42 mil em apenas três anos. O que parece difícil de acreditar na vida real, é bem comum no esporte.

Seja por negociações atrapalhadas ou por aumento impressionante de performance, muitos jogadores chegam por pouco aos clubes e em pouco tempo saem por uma bolada. Vamos dar um exemplo recente: o Porto comprou Éder Militão do São Paulo por 4 milhões de euros e oito meses depois vendeu ao Real Madrid por 35 milhões de euros.

Mas o brasileiro não é o único exemplo. Confira outras "Bettinas" do mundo do futebol:

  • FRANCK FIFE / AFP

    Marquinhos

    Sem espaço no Corinthians, o zagueiro Marquinhos foi emprestado e depois vendido à Roma por um valor somado de 6 milhões de euros em agosto de 2012. Pouco menos de um ano depois, em julho de 2013, os italianos conseguiram um lucro impressionante: venderam o defensor para o PSG por 35 milhões de euros.

  • Almeida Rocha/Folhapress

    Keirrison

    Atacante sensação do Coritiba, Keirrison teve 80% dos seus direitos comprados pela Traffic por R$ 8 milhões. Na sequência, o Palmeiras, que estava com o jogador emprestado, comprou os outros 20% restante por R$ 2 milhões no início de 2009. Seis meses mais tarde, o jogador era vendido ao Barcelona por R$ 38 milhões.

  • Oli Scarff/AFP

    Richarlison

    No meio de 2017, o Watford desembolsou 11,5 milhões de libras para tirar o atacante Richarlison do Fluminense. Um ano mais tarde, o jogador foi vendido por 45 milhões de libras para o Everton.

  • Cesar Greco/Agência Palmeiras

    Borja

    Borja foi a sensação da Libertadores de 2016 depois de ser contratado pelo Atlético Nacional por apenas 2 milhões de euros. Sete meses depois, o Palmeiras desembolsava 10,8 milhões de euros para contratar o atacante colombiano.

  • AP Photo/Lionel Cironneau

    Javier Pastore

    O meia argentino demorou um pouco mais para comprovar sua valorização. Em julho de 2009, o Palermo desembolsou 3 milhões de euros para tirá-lo do Huracán. Em agosto de 2011, o clube italiano teve um lucro enorme: vendeu ao PSG por 21 milhões de euros.

  • Massimo Pinca/Reuters

    Paulo Dybala

    Outra sensação do futebol argentino, Paulo Dybala deixou o Instituto rumo ao Palermo por 2 milhões de euros em julho de 2012. Três anos depois, o clube italiano vendeu o atacante para a rival Juventus por impressionantes 28 milhões de euros.

  • Miquel Llop/NurPhoto via Getty Images

    Malcom

    Malcom era considerada uma das grandes promessas do Corinthians e teve boa atuação na campanha do título brasileiro de 2015. No início de 2016, o Bordeaux desembolsou 5 milhões de euros para levar o brasileiro para a Europa. Dois anos e meio mais tarde, os franceses venderam o jogador ao Barcelona por 41 milhões de euros.

Listas